Bratislava: roteiro de 1 dia

Depois de 5 anos, voltei a visitar a Bratislava, capital da Eslováquia, e hoje vim contar por que esta cidade merece entrar no teu roteiro de eurotrip. Além deste resumo, também já escrevi outro artigo sobre a Eslováquia: uma aula de história e cultura na Bratislava. Não deixa de conferir!

Vale a pena visitar?

Apesar de não ser um destino com tantos atrativos turísticos, é uma cidade com um ar muito gracioso e merece sim uma visita! Por ser uma cidade super “compacta”, é possível visitar toda a sua parte histórica caminhando e, assim, evitar despesas com transportes.

Como chegar lá?

A apenas de 1 hora de distância de Viena e 2h 30 min de Budapeste, recomendo muito que aproveites para passar um dia ou dois na Bratislava e logo conhecer também outra(s) destas capitais. Para quem não quiser alugar carro, uma ótima alternativa é o Flixbus, que oferece bilhetes a partir de € 4,95/trecho de Viena e € 9,95/trecho de Budapeste.

Gastronomia eslovaca

Outro motivo por que a Bratislava merece entrar no teu roteiro é a gastronomia eslovaca: uma das minhas preferidas! É obrigatório experimentar o Bryndzove pirohy e o Bryndzove halusky, o primeiro é uma espécie de tortellini e o segundo é tipo um mini-nhoque, ambos cobertos de queijo de ovelha. Para acompanhar, pede uma Kofola, a versão eslovaca da Coca-Cola, com menos açúcar e mais natural, com sabor de ervas. Recomendo o Slovak Pub, onde pedimos um “menu degustação”, com 3 pratos típicos para 2 pessoas, por € 18,50 (2022), e uma cerveja artesanal de 0,5l por € 2,30.

Outro prato que recomendo é a sopa de alho, servida no pão. É muito saborosa e cremosa, e não é tão forte como imaginamos! Seguimos a recomendação do guia, e fomos experimentar no 17’s bar. Aprovado e custou € 7,50 (2022).

Também experimentei uma espécie de pãozinho recheado com semente de papoula (sim, aquela flor). Tem um sabor bem suave, não muito doce, então as minhas formiguinhas não ficaram tão satisfeitas, mas valeu experimentar!

Onde se hospedar?

Ficamos hospedados no Park Inn by Radisson Danube, hotel 4* no coração da Bratislava. Fiquei super contente com o quarto: muito confortável e enorme, com direito a sala, cozinha e uma vista linda para o Castelo da Bratislava!

A piscina interna, spa e academia só vieram completar essa experiência. Recomendo para quem quiser passar uns dias de rainha/rei na Bratislava! Dá uma olhadinha neste vídeo para conhecer um pouco do Park Inn:

Seguro Viagem

Já sabemos a importância de estarmos cobertos por um Seguro Viagem, que além de ser uma exigência para brasileiros entrarem em qualquer país do Espaço Schengen, também nos livra de eventuais despesas de saúde, extravio de bagagem, atraso ou perda de voo, repatriação, além de todo apoio prestado pelas seguradoras.

Para garantir o melhor serviço ao menor custo, compara ofertas de diversas seguradoras e ganha 5% de desconto imediato usando o cupom ASEMFRONTEIRAS5 em Seguros Promo e também com a IATI Seguros e esteja protegido, em caso de imprevistos desagradáveis durante a tua viagem!

O que conhecer na Bratislava?

Nas duas visitas à Bratislava, participei de tours guiados a pé, daqueles em que o valor a dar de gorjeta é definido por ti, ao final do passeio. É a minha forma preferida de conhecer as cidades, porque assim descobrimos a história por trás dos monumentos, além de aprender sobre a cultura e a história do país, e aproveitar dicas de quem conhece verdadeiramente a cidade. Desta vez, fiz o passeio organizado pela empresa Discover Bratislava, mas basta pesquisar na internet “Free walking tour” + o nome da cidade, e logo encontrarão passeios deste tipo nas principais cidades europeias. Aqui está o resumão dos pontos turísticos da Bratislava:

No período medieval, a cidade era murada e o portão de St. Michael era um dos acessos à, hoje conhecida como, Cidade Velha. Atualmente, a torre abriga um museu (e estava em obras na visita de 2022).

Depois de apreciar a beleza do prédio do Teatro Nacional, a guia chamou a atenção para os bustos que se encontram na fachada. Eles representam diversos artistas, como Mozart e Beethoven, mas nenhum deles é eslovaco. Então, por que estariam eles ali? Pelo simples fato de que, quando o prédio foi construído, a Eslováquia fazia parte do Império Austro-Húngaro e, neste caso, todos esses artistas eram realmente nacionais.

Bratislava Teatro Nacional

Nos prédios em torno da praça central, localizada na Cidade Velha, há diversos consulados e departamentos governamentais. Minha primeira visita à Bratislava foi na época de Natal, então haviam diversas barraquinhas do mercado de natal, mas apenas algumas ainda estavam abertas, vendendo quentão, ponche e comidinhas.

A Bratislava é também marcada por diversas estátuas intrigantes. Vem comigo que vou te contar a história de algumas!

A estátua Cumil, de um homem em um bueiro, atrai muitos visitantes, pois está localizada em uma das ruas centrais da Cidade Velha. Porém, segundo a guia, a estátua não representa ninguém especificamente: foi colocada ali com o único objetivo de gerar curiosidade e atrair as pessoas para a região do centro histórico, que encontrava-se abandonado pela população local. A estratégia de marketing funcionou, porque hoje a estátua é ponto turístico, com fila para fotos! hehe

Há quem defenda que ele representa um homem trabalhador, há quem diga que ele está ali para olhar por baixo das saias (e por isso está com essa carinha sem-vergonha) e há quem acredite que dá sorte passar a mão na cabeça dele. Em qual destas teorias tu acreditas? 🙂

Bratislava Cumil

Com o sucesso desta estátua, várias outras começaram a surgir pela cidade, por exemplo, a estátua de Schöne Náci: um senhor que era conhecido na região pela sua simpatia (e este existiu de verdade!).

Bratislava

A Catedral de St. Martin é um dos principais pontos da cidade, pois tem um valor histórico muito forte. Ela foi usada como a igreja da coroação dos reis e rainhas do Reino Húngaro, entre 1563 e 1830. Pelas ruas da cidade, há símbolos que representam o caminho que os monarcas faziam após serem coroados nesta igreja. Segundo a guia, a cidade se tornava palco de festa durante as coroações e as fontes públicas tinham sua água substituída por vinho. Que tal?

A catedral foi construída em 1452, em estilo gótico antigo, e é uma das poucas no mundo com o estilo original ainda em pé, já que a grande maioria das igrejas europeias foram destruídas durante as guerras e reconstruídas em estilo neogótico.

Em frente à catedral, por muitos séculos existiu uma sinagoga, provando a tolerância existente no país. Porém, em 1970, a sinagoga foi destruída pelo governo comunista para a construção da rodovia e hoje é lembrada por uma imagem, no local que ocupava.

Durante o regime comunista, o governo decidiu que a (extinta) Tchecoslováquia teria uma capital com aspecto histórico, exibindo todos seus belos prédios antigos, e outra capital moderna. Assim, iniciou-se um processo de modernização (ao estilo comunista) da Bratislava, enquanto Praga foi mantida como a capital oficial e histórica do país. Como consequência, hoje o centro histórico da Bratislava é cortado por uma rodovia, estando o castelo de um lado, e a catedral do outro. A guia referiu-se a isto com um ar de tristeza e reprovação, já que, segundo ela, a estrada é uma “cicatriz no rosto da Bratislava”. Com cicatriz ou não, eu sinceramente achei a Bratislava uma menina muito bonita!

O miradouro Most SNP, no alto da ponte, é “carinhosamente” chamado de disco-voador (UFO Tower), já que tem um aspecto um tanto peculiar… 😉 Não subi na torre, mas ela é aberta a visitações, a uma taxa de € 9,90 (em 2022), que não é cobrada caso vás a um dos sofisticados restaurantes situados no topo.

O Castelo da Bratislava, construído no século X, já passou por diversas reformas, em decorrência de diversas guerras e incêndios ao longo dos séculos, que acabaram por alterar completamente o seu estilo arquitetônico.

Castelo da Bratislava

A vista do alto da colina do castelo sobre a Cidade Velha já vale a subida!

Igreja de Santa Isabel, também conhecida como Igreja Azul, também é parada obrigatória de visita na Bratislava, porque é toda diferentona e se destaca de qualquer outra igreja que eu já tenha visto!

Idioma

E que tal aprender umas palavrinhas em eslovaco, para ser simpático durante a visita? Já preparei uma lista das principais:

Vais viajar e já queres deixar tudo organizado antes? Faz já as tuas reservas de passagens, acomodação, seguro-viagem e tudo mais que precises, usando os links marcados aqui e aproveita alguns descontos especiais! Ao comprar serviços oferecidos por estes sites, tu não estarás pagando nenhuma taxa a mais, algumas vezes estará ganhando descontinhos e ainda estará apoiando o meu trabalho, para continuar trazendo mais e mais dicas para ti!

Banner- afiliados

Lazer no Porto: quanto custa?

Na hora de planejar uma viagem, é sempre muito importante ter uma noção dos custos que teremos no nosso destino, e estes valores podem variar muito de uma cidade para outra. Será que o Porto é caro ou barato?

Neste episódio do projeto @ProjetoElasPeloMundo, selecionamos alguns itens de lazer e comparamos entre o Porto e diversas outras cidades.

Ticket unitário de transporte público: o valor do transporte público no Porto depende da distância que se vai percorrer, variando entre € 1,25 (Z2) e € 2 (Z4). Antes de comprar o bilhete (Z2, Z3 ou Z4), confirma sempre na lista que há ao lado da máquina na estação de metro, para saber por quantas zonas vais passar, entre a estação onde vais embarcar e o teu destino. Se comprares o bilhete único no ônibus, será sempre € 2/trecho;

Uber ou Bolt do aeroporto ao centro do Porto: em média, entre € 10 e € 12, mas pode ser mais alto ou mais baixo, dependendo da disponibilidade de veículos e das promoções disponíveis;

Cinema: os valores do cinema variam bastante, porque há promoções para quem tem contrato de internet ou celular com a NOS e WTF, ou para estudantes, idosos e família, por exemplo, mas de modo geral custam em torno de € 7/pessoa;

MCSundae: € 2,10;

Cerveja nacional: 1 Super Bock mini (200ml) custa +- € 0,50 no supermercado. Já num restaurante, um fino (copo de cerveja de 200ml) custa em torno de € 2;

Café expresso: o amado café português custa € 0,70;

Principal museu do Porto: uma das atrações imperdíveis por aqui é visitar uma cave de Vinho do Porto, para aprender sobre este vinho, com características tão únicas, e degustá-lo, é claro! Já fiz diversas visitas guiadas às caves da Cockburn’s e todas as experiências foram ótimas! A melhor parte é que há visitas para todos os gostos e bolsos, a partir de €15. Se falarem que são meus seguidores, ganham ainda 10% de desconto: aproveitem! f25a2e

Então, achaste o Porto caro ou barato de visitar? Me conta nos comentários se já estivestes por aqui ou se sonhas em conhecer a Invicta!

Banner- afiliados

Roteiro em Melgaço: um doce recanto no norte de Portugal

Melgaço é uma pequena vila portuguesa ainda pouco descoberta pelos turistas. Às margens do Rio Minho e na fronteira com a Espanha, é o lugar perfeito para quem precisa de um descanso ou quer conhecer uma nova região, longe das multidões (especialmente neste período de pandemia). Apesar de ainda não ser muito turística, a região é famosa pelo seu delicioso Vinho Verde Alvarinho. Pensei que teria um fim de semana de muito descanso à beira da piscina, mas a minha vontade de conhecer muito bem cada novo destino e viver mil e uma experiências foi mais forte, e preciso dizer que Melgaço me surpreendeu (e até faltou tempo para visitar tudo que gostaria)! Neste artigo, vou compartilhar com vocês um roteiro para curtir 3 dias em Melgaço e região!

O que fazer em Melgaço

Rafting no Rio Minho, com o @melgacoradical: esta experiência foi incrível e super recomendo para quem quiser viver uma aventura (com muita segurança). O passeio de rafting custa € 35/pessoa (preço em 2021 – consulta o site para ver os preços atualizados e fazer a tua reserva), Teve uma duração de aproximadamente 3h, começando com um briefing de segurança, recebemos o equipamento de segurança (colete e capacete), e lá fomos nós descer o Minho. Durante o passeio, há várias oportunidades para saltar no rio e se refrescar e, no final, ainda tivemos direito a um lanchinho para repor as energias. Além do Rafting, a @melgacoradical também faz passeios de canoagem, rafting noturno, rappel suspenso, salto pendular e outras aventuras!

Visitar uma Quinta de Vinho Verde Alvarinho: o meu vinho preferido! Eu conheci a @CasadeCanhotos e acompanhei o processo de engarrafamento, enquanto bebia vinho e espumante Alvarinho. A Quinta está em fase de expansão e em breve terão uma sala dedicada às provas de vinhos e as portas abertas para os turistas! Depois da visita, almoçamos uma deliciosa comida tradicional no Restaurante Jardim, que pertence à mesma família e está localizado a poucos metros da Quinta.

Caminhar pelos passadiços que vão do centro de Melgaço até um ponto perdido no mapa, à beira do rio e com vista para a Espanha. Eu fiz o percurso próximo ao @montepradominho e adorei!

Centro histórico da Vila de Melgaço: andar pelas ruelas fofíssimas é a atração principal, mas não deixes de passar pelo Castelo, pelo Museu do Cinema, pela Igreja Matriz de Melgaço e pelo Solar do Alvarinho. E deixo um desafio pra vocês: quem visitar Melgaço e encontrar a casa desta mini-porta, me conta!

Visitar a região: entre as atrações da região, estão Monção, o Palácio da Brejoeira, as ruínas do Castelo de Castro Laboreiro e o Santuário da Nossa Senhora da Peneda.

Onde ficar em Melgaço

Para descansar, deixo aqui minha recomendação: o Monte Prado Hotel & Spa, um recanto de 4* à beira do Rio Minho, com vista para as montanhas espanholas, e envolto numa atmosfera verde. Um mix de tudo aquilo que adoramos num hotel: café da manhã delicioso, quarto super confortável e equipe muito simpática, com o bônus de ter uma piscina exterior, outra interior e spa. Assiste ao vídeo para ter uma noção desta experiência.

Onde comer em Melgaço

Jantamos na @TasquinhaPortela e foi uma experiência 5*, com pratos lindamente apresentados e saborosos, acompanhados com Vinho Alvarinho (obviamente) e muita simpatia! Preparem-se para salivar ao ler a lista de pratos que experimentamos (estão todos no vídeo, corre la espiar):

  • Entradas: Folhadinho de queijo de cabra com tomate, confitado com mel e amêndoas; alheira com grelos e ovo estrelado; folhado de cebola roxa caramelizada com Alvarinho e presunto;
  • Prato principal: naco de vitela à Tasquinha, com grelos e batatas à murro; arroz de feijão;
  • Sobremesa: pera bêbada com Alvarinho e sorvete de baunilha.

Na Tasquinha, há 32 marcas de Vinho Verde Alvarinho à escolha! Para a nossa sorte, eles têm um sistema de promover uma marca a cada semana, assim aceitamos a recomendação da casa e não sofremos para escolher!

O que torna os lugares especiais são as pessoas, não os monumentos

A cada viagem, tenho mais certeza disso! Escolhemos Melgaço por um acaso, mas que feliz acaso! Naquele fim de semana prolongado, tivemos a oportunidade de conhecer pessoas do meu tipo preferido: verdadeiros apaixonados pela terra e pelo que fazem, e com visão para crescer e deixar uma boa pegada por aqui. Uma verdadeira inspiração e exemplo de excelentes profissionais trabalhando para mostrar o valor da sua região.

Meus mais sinceros parabéns ao Filipe, da @tasquinhaportela, que nos apresentou o seu novo menu, com todo o cuidado, apresentação impecável, atendimento excepcional e sabor divinal; ao Miguel, do @melgacoradical, que não só nos guiou no rafting pelo Rio Minho, como também nos acompanhou por um agradabilíssimo almoço no Restaurante Jardim, com feijoada, bacalhau e costeletas regadas com muita conversa e com o Vinho Alvarinho da @casadecanhotos, que também tivemos a oportunidade de visitar e acompanhar o processo de embalamento, enquanto bebíamos vinho e espumante Alvarinho e aprendíamos mais sobre o processo. E meu coração também é cheio de gratidão ao @montepradominho, que tão bem nos acolheu em Melgaço, para que pudéssemos descobrir essas experiências todas!

Só os tenho a desejar muita saúde, para que sigam com o trabalho, paixão e empenho que têm dedicado aos seus negócios, e que essa região venha a ser conhecida como merece!

A vocês, meus amigos, só tenho a dizer: DESCUBRAM MELGAÇO!

** Este post contém links para sites afiliados e fomos convidados para experimentar estas atrações em Melgaço. Estes parceiros não manipulam a minha opinião sobre as experiências que relatei neste post ou sobre o serviço oferecido. Recomendo apenas o que uso e confio, para ajudar no planejamento e organização da tua viagem! Ao comprar serviços oferecidos por estes sites, tu não pagarás nenhuma taxa a mais, muitas vezes ganharás descontinhos e ainda estarás ajudando o projeto Amanda Sem Fronteiras a trazer mais e mais dicas pra ti! **

Descubra Portugal: Palácio Hotel e Mata Nacional do Buçaco

Bem-vindos ao deslumbrante Palácio Hotel do Buçaco, localizado em Luso, na região central de Portugal, e no coração da Mata Nacional do Buçaco.

Construído para os últimos reis de Portugal, a partir de 1888, desde 1917 recebe hóspedes que buscam uma experiência digna de contos de fadas neste hotel de 5*. Já imaginaste ficar hospedado num verdadeiro palácio? Consulta a disponibilidade e preços no Palácio Hotel Bussaco aqui.

Uma curiosidade é que podemos encontrar Buçaco escrito com ss ou ç, o que causa alguma confusão sobre qual é a grafia correta. Pesquisei sobre isso, e descobri que quando aparece com SS trata-se da grafia antiga, e que com ç é a grafia moderna, adotada desde 1911.

Admito que, quando embarquei rumo ao Buçaco, só imaginava o palácio, e não tinha a menor ideia da grandiosidade e riqueza da mata que o rodeia. São mais de 105 hectares, que estão concorrendo a Patrimônio da Humanidade pela Unesco. Assistindo este vídeo, tu concordas que a Mata Nacional do Buçaco merece receber este título?

Além do Palácio e seus charmosos jardins, pela mata também encontramos fontes, miradouros, área de picnic, lagos e riachos.

O Palácio foi construído em estilo neomanuelino e, obviamente não poderia faltar na sua decoração, os grandiosos painéis de azulejos, que aqui representam a epopeia dos descobrimentos portugueses e a Batalha do Buçaco. Saiba mais sobre a história do Palácio e Hotel aqui.

A Batalha do Buçaco aconteceu aqui em 27 de setembro de 1810 e marcou a primeira derrota francesa durante a 3ª invasão. Descobre mais sobre a história da Batalha do Buçaco aqui.

Gostaste de conhecer a Mata e o Palácio Hotel do Buçaco? Então me conta aqui nos comentários e não deixa de me acompanhar no Youtube, blog e instagram, para não perder mais conteúdos sobre lugares lindos como este, em Portugal e no mundo!

** Este post contém links para sites afiliados. Ao comprar serviços oferecidos por estes sites, tu não pagarás nenhuma taxa a mais, muitas vezes ganharás descontinhos e ainda estarás ajudando o projeto Amanda Sem Fronteiras a trazer mais e mais dicas pra ti! Este site parceiro não manipula a minha opinião sobre a experiência que relatei neste post ou sobre o serviço oferecido. Recomendo apenas o que uso e confio, para ajudar no planejamento e organização da tua viagem! **

10 dicas para economizar em passagens aéreas

Quem não gosta de economizar um pouquinho onde pode, hein? Eu sou do time “quanto mais economizar aqui, mais consigo viajar ali“. A cada centavo que poupo em algo dispensável, é um a mais contando para eu poder aproveitar e viver outra experiência! Nesse artigo, não vou dar receitas mirabolantes de uma guru de promoções, mas vou sim listar as minhas dicas, que eu aplico quando pesquiso as passagens para as minhas viagens. Vem andar sem fronteiras comigo?

1. Costumo sempre pesquisar pelo Google Flights e Viajanet, que assim consigo pesquisar as datas mais baratas e ativar alertas por e-mail.

2. Usa uma janela anônima/sem registo/incognito na hora de pesquisar, especialmente se fores pesquisar várias vezes o mesmo trecho. Sim, a tecnologia é uma ladra: se pesquisares em uma janela normal, os buscadores detectam que tu tens muito interesse em determinado trecho/datas e os preços começam a subir. Já fiz vários testes nas minhas pesquisas, e isso realmente faz diferença!

3. Eu sou apaixonada pela função “Explorar” do Google Flights! Muitas vezes já escolhi o destino das férias de acordo com o resultado dessa pesquisa! Aqui, mostra todas as opções de voos a partir da cidade escolhida, e pode-se deixar o destino “Para onde?” em branco, para ver preços para qualquer lugar do mundo, ou selecionar filtro de destino como “Europa”, por exemplo. Além disso, há vários outros filtros super úteis para aplicar: preço, horário, duração, datas flexíveis ou específicas, cia aérea, malas, etc.

4. Um dos filtros que eu mais amo é o das datas flexíveis: seleciono para buscar as passagens mais baratas nos meses XYZ e “fim de semana”, e assim escolho os destinos mais baratos para fazer essas viagens curtinhas ao longo do ano, sem comprometer vários dias de férias.

5. Alertas por e-mail são uma função muito interessante que os buscadores de passagem oferecem: tu podes receber no e-mail uma notificação toda vez que um trecho específico esteja a um valor abaixo do que tu determinaste no filtro do site.

6. Para economizar, seja flexível nas datas! O calendário destes buscadores de passagens permite-nos comparar o preço mais baixo de cada dia, sem termos que pesquisar cada um individualmente! Muitas vezes, viagens no meio da semana são muito mais baratas, e podes sempre comparar isso pelos calendários destes sites. Dica: faz a pesquisa como se fosse “só ida“, que assim consegues ver exatamente quais dias são mais baratos para ir e, depois, faz o mesmo para ver as datas mais econômicas para voltar.

Exemplo de simulação só ida de OPO para POA, no Google Flights

7. As passagens mais baratas costumam ser as que tem mais escalas e duração mais longa, mas isso exige disponibilidade de tempo e paciência! Já várias vezes eu optei por escalas longas e aproveitei para conhecer a cidade da conexão (sim, conheci uma cidade a mais, pagando menos).

8. Outra dica, que eu faço sempre que planejo uma viagem, é pesquisar de/para aeroportos próximos, tanto do meu destino final, quanto da origem que pretendo embarcar. Por exemplo: apesar de o meu destino final ser Porto, muitas vezes já comprei passagens para Lisboa e depois fui para o Porto de trem ou ônibus, que dá um custo de aproximadamente €15, enquanto que a diferença no preço da passagem aérea era muito maior.

9. Comprar trechos separadamente também pode ser uma boa estratégia, mas tenha cuidado! Sempre que vou ao Brasil, vou a Porto Alegre, mas as passagens costumam ser mais caras de/para POA. Por isso, nas últimas vezes, comprei cada trecho separadamente (POA x SP, SP x LIS, e depois fui de trem de Lisboa para o Porto), e acabou ficando mais econômico. Mas, atenção: se fizeres isso, tenha o cuidado de pegar voos com um intervalo grande na escala, para evitar o risco de perder o segundo voo, em caso de atraso/cancelamento do primeiro (como as passagens não são vinculados, a cia aérea não se responsabiliza). Confirma também que as malas de porão estão inclusas em todos os trechos, ou vais ter que pagar adicional para cada voo.

10. Atenção ao que está incluso na tarifa que escolheres: as companhias aéreas agora oferecem bilhetes promocionais, mas sem direito à marcação de assento ou a malas de porão. Calcula quanto seria o custo das malas adicionais e veja se realmente aquela promoção vale a pena!

Gostaste deste artigo? Então compartilha com aquela pessoa que também ama viajar e que pode gostar deste conteúdo e das outras dicas que compartilho por aqui! Um beijo, e boas viagens e descobertas!

Para mais dicas e descontos, clica no banner abaixo ou aqui!

Roteiro inesquecível por Provença e Côte d’Azur

Quem sonha em conhecer os tapetes lilases que enfeitam a região de Provença? Que tal unir em uma só viagem a doçura do florescer dos campos de lavanda (e de lavandin) da região de Provença com os dias relax nas lindas praias da Côte d’Azur? Hoje vou contar sobre o roteiro que eu, a @prispelomundo, a @ka_abroad e a @seidenraupen fizemos no final de junho/2019, e deixar aqui todas as dicas para que vocês também tenham un bon voyage!

Melhor época para visitar

De modo geral, a melhor época para explorar a região de Provença e ver os belos e floridos campos de lavanda é entre a metade de junho e fim de julho. Mas, ATENÇÃO!, porque em cada região o florescer pode acontecer em diferentes épocas, dependendo da altitude do campo. Por isso, antes de fechar o roteiro, confere o mapinha de previsão de florescimento:

When and where does lavender bloom in Provence?
Melhor forma de explorar a região

Os aeroportos mais próximos são Marselha e Nice, e lá mesmo tu já podes pegar o carro alugado e partir para a estrada, para explorar a região com total liberdade. Para economizar na tua roadtrip, compara os preços de diversas companhia através do Rent Cars.

Onde ficar em Provença e Côte d’Azur

Veja centenas de opções de acomodação em Provença e Côte d’Azur no Airbnb (com direito à descontão na sua primeira reserva) ou no Booking.com.

Seguro Viagem

Já sabemos a importância de estarmos cobertos por um Seguro Viagem, que além de ser uma exigência para brasileiros entrarem em qualquer país do Espaço Schengen, também nos livra de eventuais despesas de saúde, extravio de bagagem, atraso ou perda de voo, repatriação, além de todo apoio prestado pelas seguradoras.

Para garantires o melhor serviço ao menor custo, compara ofertas de diversas seguradoras e ganha 5% de desconto imediato usando o cupom ASEMFRONTEIRAS5 em Seguros Promo e também com a IATI Seguros e esteja protegido, em caso de imprevistos desagradáveis durante a tua viagem!

Roteiro de 3 dias pelos encantos de Provença e Côte d’Azur
DIA 1
Avignon

Iniciamos nossa roadtrip em Lyon e a primeira parada foi no charmoso vilarejo de Avignon. Vocês sabiam que a cidade foi “o Vaticano de outros séculos”? Pois é, em Avignon viveram os Papas católicos por séculos, e a cidade só passou ao domínio francês em 1791! Não tínhamos muito tempo antes da nossa próxima parada, por isso não pudemos visitar por dentro o Palácio dos Papas, nem ir até a Fortaleza de Santo André, mas já foi tempo suficiente para ficarmos encantados com o centro histórico.

Museu de Lavanda

Não podíamos ir em busca dos campos floridos sem visitarmos o Museu da Lavanda, em Coustellet, e vivermos a experiência por completo, certo? Pois vou te contar que foi uma ótima ideia e recomendo muito a visita: não deixa de fora do teu roteiro!

Primeiro, visitamos o museu e aprendemos sobre as diferenças entre lavanda e lavandin, o processo de produção e extração da essência de lavanda e suas propriedades medicinais. Vocês sabiam que a lavanda fina verdadeira, cujo óleo essencial possui propriedades medicinais e é usado em diversos produtos de beleza, cresce somente a uma altitude entre 800 e 1300 metros acima do nível do mar? Abaixo desta altitude, é possível encontrar apenas campos de lavandin, que é uma flor híbrida, desenvolvida a partir da lavanda, mas usada para fins diferentes, como produtos de limpeza, porque não tem propriedades medicinais. Alguns dos benefícios do óleo essencial da lavanda fina são promover a calma e combater o estresse, a ansiedade, a insônia, aliviar os efeitos de picadas de insetos, dores de cabeça, e a lista continua!

Depois, participamos de um workshop sobre a lavanda fina e os cinco sentidos: experimentamos macarons feitos com lavanda, pintamos e também aguçamos o tato, o olfato e a audição, conectando-nos verdadeiramente à experiência de descobrir a lavanda fina.

Ao final da visita, conhecemos os produtos da marca Le Chateau du Bois, uma linha de produtos super completa, todos feitos à base de óleo essencial de lavanda.

Para mais informações sobre horários e ingressos, visita o site oficial do Museu da Lavanda.

Bonnieux

Ao longo do trajeto, vê-se incontáveis campos de lavanda e lavandin, um mais convidativo que o outro. Em Bonnieux estão alguns deles, que se estendem como tapetes lilases às margens de colinas. Interessante saber que a lavanda fina verdadeira cresce somente nas regiões de altitude entre 800 e 1300 metros acima do nível do mar. Sempre que encontrares campos abaixo desta altitude, serão de lavandin, uma flor desenvolvida a partir da lavanda, mas que não tem as mesmas propriedades medicinais e é usada para fins diferentes da lavanda.

DIA 2
Cassis e Parque Nacional dos Calanques

Um dos passeios que fizemos pela maravilhosa Côte d’Azur foi a Cassis, uma cidadezinha fofa ao lado de Marselha, de onde embarcamos para visitar o Parque Nacional dos Calanques. Os calanques são pequenas praias em fiordes, com o incrivelmente azul mar mediterrâneo.

A partir de Cassis, podes fazer trilhas pelos calanques até as suas belíssimas praias. Vontade de conhecer não nos faltava, mas não tivemos coragem de fazer essa caminhada no sol, porque as temperaturas estavam altíssimas devido à canícule (onda de calor do cão).

Acabamos optando por um passeio de barco que nos levou a 8 calanques, mas não fazem paradas para mergulho, apenas admirar e ouvir as explicações do guia. Há diversos passeios disponíveis, que exploram 3 ou até 9 calanques, e assim podes escolher de acordo com a tua disponibilidade de tempo e orçamento.

Depois do passeio de barco, também curtimos a Plage de La Grande Mer e foi simplesmente MARavilhoso!

DIA 3
La Bastide de Moustiers

Para mim, viajar é sobre descobrir e vivenciar as mais diversas experiências. Sou capaz de alegre e curiosamente comer insetos na Ásia, e também de desfrutar de uma deliciosa refeição em um requintado restaurante com estrela Michelin, no coração do Parque Natural Regional do Verdon. Esta foi a vez da segunda opção: conhecer e me deliciar no restaurante e hotel La Bastide de Moustiers. Para quem estiver disposto a investir em uma experiência gastronômica incrível, recomendo muitíssimo (mas não esqueças de fazer reserva com antecedência). Nós experimentamos um menu degustação, com entradas, prato principal, queijos e sobremesas, regados a vinho (comecei a salivar só de lembrar-me), em uma mesa ao jardim, com uma vista que completava o encanto da experiência.

Gorges du Verdon

No meio da imensidão dos canions de Verdon, que estendem-se por 25km e chegam a 700 metros de altura, repousa o azul-esverdeado lago Sainte-Croix-du-Verdon. Uma beleza natural única e inesquecível, que convida a um mergulho, passeio de barco ou de pedalinho!

DIA 4, 5, 6…

O que eu mais amo de uma roadtrip é ter a liberdade de poder parar sempre e onde quiser ao longo do caminho! Por isso, vou deixar algumas dicas extras, para quem tiver mais tempo disponível, poder adicionar também ao roteiro os doces vilarejos de Aix-en-Provence (não deixa de conhecer a Catedral de Saint-Sauveur, a avenida Cours Mirabeau e o museu-estúdio de Cezanne), Moustiers-Sainte-Marie (aproveita também para experimentar uma cerveja artesanal da região, com um sabor muito especial: lavanda!), Parque Nacional de Luberon (reserva da biosfera, na lista da Unesco desde 2010), Valensole (planícies onde encontrarás alguns dos mais apaixonantes campos de lavanda).

Já em Côte-d’Azur, aproveita para visitar também Marselha, Eze, Nice e Cannes, e que tal estender um pouquinho até Mônaco?

Ah, e a Pris Pelo Mundo é uma carioca que mora em Nice, e tem zilhões de dicas maravilhosas no blog e no Insta! Recomendo que dê uma olhada também nas dicas dela e no post Os Campos de Lavanda de Valensole, para deixar o teu roteiro completão e super especial!

Eu preciso admitir que, quando começamos a planejar essa viagem, eu só tinha vontade de adicionar mais dias ao roteiro, para aproveitar ao máximo a região! Infelizmente não foi possível, mas coloquei o pé no avião de regresso já com a certeza de que ainda voltarei lá, para conhecer mais desta região tão mágica! Me conta nos comentários o que achaste do roteiro e se já exploraste um pouco de Provença e Côte d’Azur também! ❤

** Este post contém links para sites afiliados. Ao comprar serviços oferecidos por estes sites, tu não pagarás nenhuma taxa a mais, muitas vezes ganharás descontinhos e ainda estarás ajudando o projeto Amanda Sem Fronteiras a trazer mais e mais dicas pra ti! Este site parceiro não manipula a minha opinião sobre a experiência que relatei neste post ou sobre o serviço oferecido. Recomendo apenas o que uso e confio, para ajudar no planejamento e organização da tua viagem! **

Tudo o que precisa saber antes de visitar Strasbourg!

Pensando em uma viagem romântica? Então salva essa dica! Strasbourg, na região da Alsacia, na fronteira entre a França e a Alemanha, é pura fofura! Uma cidade que une o antigo e o moderno, bem como os traços da cultura destes dois países. Pront@ para explorá-la comigo e apaixonar-se por Strasbourg?

Thinking of a romantic trip? So save this tip! Strasbourg, in the Alsace region, on the border between France and Germany, is pure cuteness! A city that unites the old and the modern, as well as the traits of the culture of both countries. Are you ready to explore it with me and fall in love with Strasbourg?

Sobre Strasbourg / About Strasbourg

A história de Strasbourg remonta a 12 aC, quando os romanos criaram uma aldeia nesta área. Outro fato importante na história de Strasbourg aconteceu em 1518, quando Martinho Lutero expôs sua tese em frente à Catedral, marcando o início da Reforma Protestante. No século XVII, o Sacro Império Romano perdeu o poder de Strasbourg para a França. Duzentos anos depois, a cidade tornou-se parte do Império Alemão, mas isto não durou muito: 48 anos depois, após o fim da Primeira Guerra Mundial, Strasbourg retornou ao controle da França. Quando a Segunda Guerra Mundial começou, a população foi evacuada e logo a cidade foi ocupada novamente pelos alemães, que anexaram a Alsácia à Alemanha, de 1940 a 1944. Em 1949, Strasbourg foi eleita a casa do Conselho da Europa e, em 1992, tornou-se a sede do Parlamento Europeu. Desde 1988, a área da Grande-Île, onde localiza-se o centro histórico e a Catedral de Strasbourg, foi listada pela Unesco como patrimônio da humanidade. Em 2017, o bairro deNeustadt, construído na época que a cidade estava sob comando alemão, foi também adicionado à lista.

Strasbourg’s history goes back to 12 BC, when the Romans started a village in this area. Another important fact in Strasbourg’s history happened in 1518, when Martin Luther exposed his thesis in front of the Cathedral, marking the beginning of the Protestant Reform. In the XVII century, the Holy Roman Empire lost the power of Strasbourg to France. Two hundred years later, the city became part of the German Empire, but it didn’t last long: 48 years later (in 1918), after the end of the First World War, Strasbourg returned to France. Then the Second World War started and the population was evacuated, and soon the city was occupied again by the Germans, who attached Alsace to Germany from 1940 to 1944. In 1949 Strasbourg was elected the house of the Council of Europe and, in 1992, became the seat of the European Parliament. Since 1988, the Grande-Île, where the historic center and Strasbourg Cathedral are located, has been listed by Unesco as world heritage. In 2017, the district of Neustadt, built at the time the city was under German command, was also added to the list.

O que fazer e visitar / What to do and visit

Para quem quer aproveitar Strasbourg ao máximo, uma boa opção é comprar o Strasbourg Pass. Por €19,50 por adulto, você terá direito a subir os 142m até o alto da torre da catedral e ter vistas esplêndidas da cidade, assistir à apresentação dos 12 apóstolos no relógio astronômico às 12:30, fazer um passeio de barco de 1h pelo Rio Ill, escolher um museu para visitar gratuitamente e ainda ganhar descontos em diversas outras atrações, durante 03 dias consecutivos!

For those who want to enjoy Strasbourg to the fullest, a good option is to
buy the Strasbourg Pass. For € 19.50 per adult, you will be entitled to climb the 142m to the top of the cathedral tower and have splendid views of the city, watch the presentation of the 12 apostles in the astronomical clock at 12:30, take a 1-hour boat tour on the River Ill, choose a museum to visit for free and still get discounts in several other attractions, during 03 consecutive days!

Eu amo fazer passeios guiados a pé nas cidades que visito, porque é uma ótima forma de aprender mais sobre a cidade, as atrações, a cultura e a história da região, sem gastar muito. Explorei Strasbourg com a ajuda de um audioguia, disponível para aluguel no posto de turismo, bem em frente à Catedral de Strasbourg. Recebi um mapinha da cidade, com indicação para os locais a passar e escutar os comentários. Foi uma experiência muito legal, recomendo muito!

I love to go on guided walking tours on the cities I visit, because it’s a great way to learn more about the city, the attractions, the culture and the history of the region, without spending much money. I explored Strasbourg with the help of an audio guide, available for hire at the tourist office, right in front of the Strasbourg Cathedral. I received a little map of the city, with indications of where to go and listen to the comments. It was a really cool experience, I truly recommend it!


O bairro de Petite France foi o que mais me encantou! As casinhas de fachada colorida e marcadas por vigas de madeira parecem cenário de filme: puro charme! Neste bairro, costumavam viver pescadores e trabalhadores de curtumes e moinhos e, atualmente, é o turismo que traz vida às suas charmosas ruelas.

The neighborhood of Petite France was the one that enchanted me the most! The colorful facades of the half-timbered houses look like a movie set: pure charm! This neighborhood used to be occupied by fishermen, tanners and millers and, at present, it is the tourism that brings life to its charming alleys.

A Ponts-Couverts é outra importante referência, na área da Petite France, já que suas torres são umas das poucas que ainda restam do antigo muro que cercava a cidade na Idade Média.

The Ponts-Couverts is another important landmark in the area of Petite France, since its towers are one of the few that still remain of the old wall that surrounded the city in the Middle Ages.


Perto dali, localiza-se a barragem de Vauban, construída para a proteção da cidade. Quando os seus 13 arcos eram fechados, o rio alagava a parte sul da cidade e espantava os exércitos inimigos.

Nearby is located the Vauban’s dam, built for the protection of the city. When its 13 arches were closed, the river flooded the southern part of the city and floundered the enemy armies.

O passeio de barco é ótimo para conhecer a cidade de outro ângulo, indo da área mais antiga à mais moderna. Ao longo do percurso, pode-se ouvir explicações sobre cada local no audioguia, disponível em diversos idiomas, inclusive português!

The boat tour is great for getting to know the city from another angle, going from the older area to the more modern. Along the way, you can hear explanations about each location in the audio guide, available in several languages!

Entre os diversos museus a visitar em Strasbourg, destacam-se o museu de artes decorativas, o museu de arte e o museu de arqueologia, sendo que os três dividem o espaço do Palácio Rohan. Para quem, como eu, gosta de aprender sobre a história e cultura da região, pode-se visitar o museu alsaciano e o museu histórico de Strasbourg. Para completar, o museu de l’Œuvre Notre-Dame, o museu Tomi Ungerer e o museu de arte moderna e contemporânea são imperdíveis para os fãs da arte. Que tal visitar museus diferentes, como o do chocolate ou do vodu?

Amongst the various museums to visit in Strasbourg, the decorative arts museum, the fine arts museum and the archaeological museum stand out, with all three sharing the space of the Rohan Palace. For those, like me, who like to learn about the history and culture of the region, you can visit the Alsatian museum and the Strasbourg historical museum. To complete, the l’Œuvre Notre-Dame museum, the Tomi Ungerer museum and the museum of modern and contemporary art are a must-see for fans of art. And how about visiting different ones, such as the chocolate or voodoo museums?


Entre os parques da cidade, o Le Parc de l’Orangerie é o mais famoso, devido aos seus 26 hectares, o belo lago com uma cascatinha e animais! Se for até lá, aproveite para passar pelo parlamento europeu, o Palácio da Europa e o edifício dos direitos humanos e conhecer a área mais moderna de Strasbourg. Além disso, o jardim botânico também é uma ótima atração para quem visitar a cidade entre 01 de março e 24 de dezembro.

Among the city’s parks, Le Parc de l’Orangerie is the most famous, due to its 26 hectares, the beautiful lake with a waterfall and the animals! If you go there, take the chance to pass by the European Parliament, the Palace of Europe and the human rights building and get to know the most modern area of Strasbourg. In addition, the botanical garden is also a great attraction for anyone visiting the city between March 1 and December 24.

Strasbourg é linda o ano inteiro, mas a época natalina traz um encanto especial à cidade, com suas decorações e o seu “Christkindelsmärik“. O tradicional mercado de Natal da cidade é famoso por ser o mais antigo do mundo, já que o primeiro evento ocorreu em 1570!

Strasbourg is beautiful all year round, but the Christmas season brings a special charm to the city, with its bright decorations and the Christkindelsmärik. The traditional Christmas market in the city is famous for being the oldest one in the world, as the first event occurred in 1570!

Como se deslocar / How to get around

Na minha opinião, é andando que encontramos os lugares mais lindos e inesperados! Mas, para quem não quiser caminhar muito, o transporte público é muito bom e está disponível e atualizado para consulta no Google Maps, o que ajuda muito na hora de saber como deslocar-se de um ponto a outro.

In my opinion, it’s walking that we find the most beautiful and unexpected places! But, for those who do not want to walk a lot, the public transport is very good and it’s available and updated for consultation on Google Maps, which helps a lot to get information about how to move from one point to another.


Para quem chega em Strasbourg de avião, é possível deslocar-se do aeroporto ao centro de trem, e o bilhete custa EUR 2,70 por pessoa. A máquina é meio esquisita e não muito intuitiva, porque a alteração de idioma não estava 100%, mas tentando e pedindo ajuda eu acabei aprendendo como usá-la! Basicamente, é preciso selecionar a estação de partida, de destino, o tipo de bilhete, o número de pessoas, a data de validade desejada e a quantidade de bilhetes, isso tudo rodando o botão para mudar as opções e, depois, apertando para selecionar a desejada. Depois de confirmado e pago, o bilhete será impresso e precisa ser validado em uma das maquininhas amarelas.

For those arriving in Strasbourg by plane, it’s possible to travel from the airport to the city center by train, and the ticket costs EUR 2.70 per person. The machine is a little weird and not very intuitive, because the language change was not working 100%, but trying and asking for help I ended up learning how to use it! Basically, you need to select the starting station, destination, type of ticket, number of people, the expiration date you want and the number of tickets, all by turning the button to change the options and then pressing it to select the desired option. Once confirmed and paid, the ticket will be printed and it must be validated in one of the yellow machines.


Já o ônibus foi bem fácil! Depois de pesquisar no Google Maps qual era a melhor linha para chegar no hotel, fui até a parada e comprei o bilhete (um cartão recarregável) com o motorista, por 2 euros. Esse valor ficaria mais barato se eu recarregasse o cartão depois.

On the other hand, taking the bus was easy peasy! After searching on Google Maps for the best line to get to the hotel, I went to the stop and bought the ticket (a rechargeable card) with the driver for 2 euros. This amount would be cheaper if I reloaded the card later.


Há, ainda, a opção de passeios turísticos em “mini-trem” (sujeito a 50% de desconto para quem tiver o Strasbourg Pass), Segway (desconto de 30% para quem tiver o Strasbourg Pass) ou Rickshaw (descontos de 15 a 20% para quem tiver o Strasbourg Pass).

There is also the option of sightseeing by “mini-train” (subject to 50% discount for those with Strasbourg Pass), Segway (30% discount for Strasbourg Pass) or Rickshaw (discounts 15 20% for those who have the Strasbourg Pass).

Onde ficar / Where to stay

Para completar a experiência nessa cidade linda, recomendo o maravilhoso Best Western Plus Hôtel Monopole Metropole! O quarto é super confortável, o pessoal muito simpático e o café da manhã uma delícia, perfeito para se preparar bem para um dia de muito passeio!

To complete the experience in this beautiful city, I recommend the wonderful hotel Best Western Plus Hôtel Monopole Metropole! The room is super comfortable, the staff very friendly and the breakfast simply delicious, perfect to get well prepared for a full day exploring!


Visitar Strasbourg foi simplesmente incrível e inesquecível, uma cidade que eu certamente recomendo! Costumo dizer que vou deixando um pedaço do meu coração em cada cidade que visito, enquanto vou levando um pouco delas também, nas minhas memórias! Aproveito para agradecer o apoio do Office de Tourisme de Strasbourg et sa Région e do Best Western Plus Hôtel Monopole Metropole durante esta viagem! As experiências que me proporcionaram nestas parcerias ficarão eternizadas nas minhas melhores lembranças!

Visiting Strasbourg was simply amazing and unforgettable, it’s totally worth the visit and I truly recommend it! I always say that I leave a piece of my heart in every city I visit, while I take some of them too, in my memories! I also take the chance to thank the Office de Tourisme de Strasbourg et sa Région and the Best Western Plus Hôtel Monopole Metropole for their support during this trip! The experiences afforded by these partnerships will be eternalized in my best memories!

Castelo de Neuschwanstein: o queridinho da Alemanha

Na sequência do roteiro e o que fazer na região da Baviera, no sul da Alemanha, hoje vamos ao icônico Castelo de Neuschwanstein! O castelo fica nas redondezas de Füssen, então antes de visitá-lo, sugiro dar uma passadinha por esta charmosa cidade também!

Este castelo ficou famosíssimo por ter inspirado a criação do Castelo da Cinderela e por ser verdadeiramente impressionante, decorando a paisagem, no topo de uma montanha. Foi construído na segunda metade do século XIX, a pedido do Rei Ludwig II da Baviera.

Curioso é que, ao invés de ter sido projetado por um arquiteto, o castelo foi desenhado por Christian Jank, especialista em cenários teatrais. Além disso, diversas de suas salas são dedicadas a composições de Wagner, o que demonstra o espírito artístico do rei. O rei era um verdadeiro sonhador, filósofo e apaixonado pela arte, o que acabou distanciando-o dos seus compromissos como monarca e da própria realidade. Dedicou a sua vida à construção deste castelo, e gastou tanto dinheiro na obra que acabou sendo declarado louco e retirado do poder, em 1886. No dia seguinte, foi misteriosamente encontrado sem vida, assim como o psiquiatra que havia assinado a declaração de sua insanidade. Sete anos após o seu falecimento, o seu sossegado refúgio foi aberto ao público, e atualmente recebe cerca de 1.4 milhões de visitantes por ano, segundo o site oficial.

O acesso ao pátio do castelo é livre e gratuito, porém é preciso pagar para visitá-lo por dentro. Como essa atração é movimentadíssima, recomendo que reservem os ingressos previamente no site oficial, para não terem que esperar por horas na fila e depois mais algumas horas até o horário agendado para a visita guiada! Nós não estávamos com muita paciência para esperar, então só passeamos ao redor, e já foi o suficiente para ficarmos encantados! Aliás, já ouvi dizer que o exterior do castelo é muito mais impressionante e bonito que o seu interior, mas não posso afirmar se isso é verdade ou não, porque além de não tê-lo visitado por dentro, também não vi muitas fotos, já que é proibido fotografar no tour pelo castelo…

Já no lado de fora, as fotos estão liberadas! Aliás, diz-se que este é o edifício mais fotografado da Alemanha e eu acredito, porque ele é mesmo muito fotogênico (e cheinho de turistas)! 😄

A vista para o Castelo de Hohenschwangau e o lago Alpsee, em meio às montanhas, completa essa fantástica paisagem!

O Castelo Hohenschwangau foi construído pelo pai do Rei Ludwig II, o Rei Maximilian II da Baviera, em 1837, sobre as ruínas de uma antiga fortaleza, do século XII. O Rei apaixonou-se pela beleza natural da região e fez deste Palácio a residência de verão da sua família.

Recomendo que dêem uma caminhadinha até a Marienbrücke, para que possam ter essa linda vista do castelo em meio ao vale (mas preparem-se para a fila, porque a ponte fica superlotada)! Aliás, é tão cheia que dá até um certo medinho de andar por lá e aquilo não aguentar o peso e mergulhar direto na cascata! Ah, e no inverno esta ponte pode estar temporariamente fechada por questões de segurança, devido ao mau tempo.

Gostaste do roteiro e dicas? Me conta aqui se tu gostarias de conhecer essa linda região da Alemanha!

** Este post contém links para sites afiliados. Ao comprar serviços oferecidos por estes sites, tu não pagarás nenhuma taxa a mais, muitas vezes ganharás descontinhos e ainda estarás ajudando o projeto Amanda Sem Fronteiras a trazer mais e mais dicas pra ti! Este site parceiro não manipula a minha opinião sobre a experiência que relatei neste post ou sobre o serviço oferecido. Recomendo apenas o que uso e confio, para ajudar no planejamento e organização da tua viagem! **

Banner- afiliados

Roteiro pela Baviera: Lindau em 01 dia (ou algumas horas)

No último verão, tive a oportunidade de visitar a belíssima região da Baviera, ao sul da Alemanha, e vou compartilhar as minhas dicas em uma série de artigos sobre as cidadezinhas por onde passei neste percurso. A parada de hoje será em Lindau, prepare-se para saber o que fazer em uma visita de 01 dia (ou algumas horas, pelo menos)!

Lindau é uma charmosa cidade-ilha alemã, na região da Baviera, pertinho da fronteira. O Lago Constança (Bodensee, em alemão), onde Lindau está situada, marca a fronteira entre três países: Alemanha, Áustria e Suíça.

Como a cidade é pequenina, a melhor forma de explorá-la é a pé. Caso viaje até lá de carro, a melhor opção é deixá-lo em um dos estacionamentos antes de entrar na ilha e atravessar a ponte Seebrücke caminhando, porque o espaço por lá é limitadíssimo!

Já na chegada, o Stadtgarten encanta a todos, com suas cores vibrantes!

A Maximilianstraße e a Fischergasse são as principais ruas do centro histórico de Lindau, e são puro amor! Sugiro que passeiem com calma, perdendo-se e apreciando cada cantinho.

Não deixe de passar também pelo Diebsturm, a torre que serviu de prisão por muitos anos, desde a sua construção, em 1380.

A Marktplatz é uma das principais praças da cidade, circundada pela St. Stephan Kirche e pela Münster Unserer Lieben Frau. Todos sábados e também às quartas-feiras, entre abril e outubro, a praça recebe a feirinha semanal a partir das 7h.

A Altes Rathaus, ou prefeitura antiga, chama atenção pela bela pintura da fachada! Foi originalmente construída no século XV e reconstruída diversas vezes ao longo dos séculos, tendo adotado marcas de diversos estilos arquitetônicos. Localiza-se na Bismarckplatz, no caminho para o porto de Lindau, e atualmente abriga uma biblioteca.

Às margens do porto, está a Mangturm, torre construída no século XII para a proteção da cidade e do porto. No passado, a torre estava ilhada no meio do lago e só era acessível por uma ponte elevadiça. Atualmente, atrai turistas pela vista e também abriga eventos lúdicos, em que os contos de fada retêm a atenção dos pequenos visitantes.

Uma das atrações é o porto, que tem uma bela vista para o lago, e dois símbolos da cidade: o leão da Baviera e o novo farol. Apesar do nome, o farol já não é tão novo assim, foi inaugurado em meados do século XIX, e pode ser visitado, para ter-se uma vista panorâmica do lago e da cidade.

Gostaste do roteiro e dicas? Me conta aqui se tu gostarias de conhecer essa linda região da Alemanha!

** Este post contém links para sites afiliados. Ao comprar serviços oferecidos por estes sites, tu não pagarás nenhuma taxa a mais, muitas vezes ganharás descontinhos e ainda estarás ajudando o projeto Amanda Sem Fronteiras a trazer mais e mais dicas pra ti! Este site parceiro não manipula a minha opinião sobre a experiência que relatei neste post ou sobre o serviço oferecido. Recomendo apenas o que uso e confio, para ajudar no planejamento e organização da tua viagem! **

Banner- afiliados

Retrospectiva 2018 e Feliz 2019!

Pra mim, fim de ano é sinônimo de reflexão sobre tudo o que aconteceu e tudo que eu desejo para o novo ano. 2018 foi um ano de muitas mudanças e muitos desafios, em que eu aprendi o verdadeiro significado de resiliência, de continuar em frente, trabalhando para superar dificuldades e abrir as  portas fechadas. Para a minha alegria, pude contar com pessoas muito especiais ao meu lado, que tornaram meu ano muito mais feliz e apoiaram-me em todos os desafios. Além disso, também tive um ano cheio de novos destinos, experiências e aprendizagem! Vem comigo nessa retrospectiva 2018!

Janeiro/2018

Comecei 2018 passando a virada do ano em Berlim. Nunca tive muita vontade de conhecer a Alemanha, mas preciso admitir que Berlim me surpreendeu e só me deixou com vontade de voltar a visitar outras cidades alemãs!

Fevereiro/2018

Fevereiro foi o mês de viajar a trabalho, mas cada segundo livre foi muito bem aproveitado para conhecer um pouco dessas cidades lindas! Meu destino final era Dubai, mas fiz uma escala de aproximadamente 20h em Istambul, o que me deu algum tempo para conhecer os principais pontos da cidade, experimentar muuuuita comida local e me deixar louquinha para voltar à Turquia (especialmente para conhecer a Capadócia)!

Março/2018

Março foi o mês de ir ao Brasil matar aquela saudade da família e dos amigos e, no caminho, fiz uma escala em Madri e curti um pouco da cidade, que já tinha visitado no ano anterior.

Abril/2018

Abril foi o mês de receber a visita de uma amiga de infância e passear com ela por Portugal. Fomos à Lisboa, Cascais, Porto, Espinho, Aveiro, Ovar e outras cidades pequeninas e encantadoras de Portugal.

Maio/2018

Pela primeira vez, viajei sozinha à lazer e foi uma experiência incrível! Parti com o objetivo de me conectar comigo mesma, refletir e repensar algumas decisões importantes. Voltei me sentindo feliz, forte, determinada e com as energias renovadas. Visitei novamente minha amada Barcelona, e aproveitei para conhecer Valência e Andorra, dois lugares que ganharam o meu coração!

Junho/2018

Junho não foi mês de viagens, porque estive ocupadíssima distribuindo risadas e fazendo a festa com os meus amigos! Teve Copa do Mundo, teve Festa de São João e teve Rock in Rio em Lisboa: querem desculpas melhores para reunir os amigos e se divertir muito?

Julho/2018

O verão chegou na Europa, e para onde fomos? Para as lindíssimas praias do sul de Portugal: o Algarve! Fiquei perdidamente apaixonada pelas paisagens e já estou ansiosa pelo próximo verão!

Agosto/2018

No mês que os turistas empilham-se pelas cidades e praias, escapei para o interior e visitei o Parque Nacional Peneda-Gerês, dividido entre Portugal e Espanha. Visitei cascatas lindíssimas e curti muito as belezas naturais da região. Além disso, também fiz uma “viagem no tempo” e fui a uma incrível festa na era medieval, em Santa Maria da Feira, e visitei a colorida cidade de Águeda.

Setembro/2018

Setembro foi um mês super especial! Comecei o mês visitando Óbidos, Nazaré e a incrível ilha da Berlenga Grande, na região central de Portugal.

Na segunda metade de setembro, recebi a visita da minha irmã e meu cunhado e fizemos uma viagem incrível, passando por várias cidades na Polônia, sul da Alemanha, nordeste de Suíça, Liechtenstein e Áustria!

Outubro e Novembro/2018

Outubro e novembro foram meses de muito trabalho, importantíssimos para pensar nos novos projetos para 2019!

Dezembro/2018

Encerrei o ano com chave de ouro, fazendo um passeio de enoturismo pelo Vale do Douro, em Portugal, a convite da Lab Portugal Tours. Foi um passeio lindíssimo e vocês podem ver mais detalhes aqui!

E, é claro que, o meu amado Porto não pode faltar nessa retrospectiva, já que é o meu lar doce lar, de janeiro a dezembro!

2018 foi um ano de muitos desafios, mas também de muitas realizações. Cada um de vocês foi muito importante para tornar este ano tão especial e feliz! Muito obrigada por viajarem comigo! Feliz 2019, que todos os dias sejam de muita alegria, saúde, amor, paz e realizações! Beijão ❤