Bratislava: roteiro de 1 dia

Depois de 5 anos, voltei a visitar a Bratislava, capital da Eslováquia, e hoje vim contar por que esta cidade merece entrar no teu roteiro de eurotrip. Além deste resumo, também já escrevi outro artigo sobre a Eslováquia: uma aula de história e cultura na Bratislava. Não deixa de conferir!

Vale a pena visitar?

Apesar de não ser um destino com tantos atrativos turísticos, é uma cidade com um ar muito gracioso e merece sim uma visita! Por ser uma cidade super “compacta”, é possível visitar toda a sua parte histórica caminhando e, assim, evitar despesas com transportes.

Como chegar lá?

A apenas de 1 hora de distância de Viena e 2h 30 min de Budapeste, recomendo muito que aproveites para passar um dia ou dois na Bratislava e logo conhecer também outra(s) destas capitais. Para quem não quiser alugar carro, uma ótima alternativa é o Flixbus, que oferece bilhetes a partir de € 4,95/trecho de Viena e € 9,95/trecho de Budapeste.

Gastronomia eslovaca

Outro motivo por que a Bratislava merece entrar no teu roteiro é a gastronomia eslovaca: uma das minhas preferidas! É obrigatório experimentar o Bryndzove pirohy e o Bryndzove halusky, o primeiro é uma espécie de tortellini e o segundo é tipo um mini-nhoque, ambos cobertos de queijo de ovelha. Para acompanhar, pede uma Kofola, a versão eslovaca da Coca-Cola, com menos açúcar e mais natural, com sabor de ervas. Recomendo o Slovak Pub, onde pedimos um “menu degustação”, com 3 pratos típicos para 2 pessoas, por € 18,50 (2022), e uma cerveja artesanal de 0,5l por € 2,30.

Outro prato que recomendo é a sopa de alho, servida no pão. É muito saborosa e cremosa, e não é tão forte como imaginamos! Seguimos a recomendação do guia, e fomos experimentar no 17’s bar. Aprovado e custou € 7,50 (2022).

Também experimentei uma espécie de pãozinho recheado com semente de papoula (sim, aquela flor). Tem um sabor bem suave, não muito doce, então as minhas formiguinhas não ficaram tão satisfeitas, mas valeu experimentar!

Onde se hospedar?

Ficamos hospedados no Park Inn by Radisson Danube, hotel 4* no coração da Bratislava. Fiquei super contente com o quarto: muito confortável e enorme, com direito a sala, cozinha e uma vista linda para o Castelo da Bratislava!

A piscina interna, spa e academia só vieram completar essa experiência. Recomendo para quem quiser passar uns dias de rainha/rei na Bratislava! Dá uma olhadinha neste vídeo para conhecer um pouco do Park Inn:

Seguro Viagem

Já sabemos a importância de estarmos cobertos por um Seguro Viagem, que além de ser uma exigência para brasileiros entrarem em qualquer país do Espaço Schengen, também nos livra de eventuais despesas de saúde, extravio de bagagem, atraso ou perda de voo, repatriação, além de todo apoio prestado pelas seguradoras.

Para garantir o melhor serviço ao menor custo, compara ofertas de diversas seguradoras e ganha 5% de desconto imediato usando o cupom ASEMFRONTEIRAS5 em Seguros Promo e também com a IATI Seguros e esteja protegido, em caso de imprevistos desagradáveis durante a tua viagem!

O que conhecer na Bratislava?

Nas duas visitas à Bratislava, participei de tours guiados a pé, daqueles em que o valor a dar de gorjeta é definido por ti, ao final do passeio. É a minha forma preferida de conhecer as cidades, porque assim descobrimos a história por trás dos monumentos, além de aprender sobre a cultura e a história do país, e aproveitar dicas de quem conhece verdadeiramente a cidade. Desta vez, fiz o passeio organizado pela empresa Discover Bratislava, mas basta pesquisar na internet “Free walking tour” + o nome da cidade, e logo encontrarão passeios deste tipo nas principais cidades europeias. Aqui está o resumão dos pontos turísticos da Bratislava:

No período medieval, a cidade era murada e o portão de St. Michael era um dos acessos à, hoje conhecida como, Cidade Velha. Atualmente, a torre abriga um museu (e estava em obras na visita de 2022).

Depois de apreciar a beleza do prédio do Teatro Nacional, a guia chamou a atenção para os bustos que se encontram na fachada. Eles representam diversos artistas, como Mozart e Beethoven, mas nenhum deles é eslovaco. Então, por que estariam eles ali? Pelo simples fato de que, quando o prédio foi construído, a Eslováquia fazia parte do Império Austro-Húngaro e, neste caso, todos esses artistas eram realmente nacionais.

Bratislava Teatro Nacional

Nos prédios em torno da praça central, localizada na Cidade Velha, há diversos consulados e departamentos governamentais. Minha primeira visita à Bratislava foi na época de Natal, então haviam diversas barraquinhas do mercado de natal, mas apenas algumas ainda estavam abertas, vendendo quentão, ponche e comidinhas.

A Bratislava é também marcada por diversas estátuas intrigantes. Vem comigo que vou te contar a história de algumas!

A estátua Cumil, de um homem em um bueiro, atrai muitos visitantes, pois está localizada em uma das ruas centrais da Cidade Velha. Porém, segundo a guia, a estátua não representa ninguém especificamente: foi colocada ali com o único objetivo de gerar curiosidade e atrair as pessoas para a região do centro histórico, que encontrava-se abandonado pela população local. A estratégia de marketing funcionou, porque hoje a estátua é ponto turístico, com fila para fotos! hehe

Há quem defenda que ele representa um homem trabalhador, há quem diga que ele está ali para olhar por baixo das saias (e por isso está com essa carinha sem-vergonha) e há quem acredite que dá sorte passar a mão na cabeça dele. Em qual destas teorias tu acreditas? 🙂

Bratislava Cumil

Com o sucesso desta estátua, várias outras começaram a surgir pela cidade, por exemplo, a estátua de Schöne Náci: um senhor que era conhecido na região pela sua simpatia (e este existiu de verdade!).

Bratislava

A Catedral de St. Martin é um dos principais pontos da cidade, pois tem um valor histórico muito forte. Ela foi usada como a igreja da coroação dos reis e rainhas do Reino Húngaro, entre 1563 e 1830. Pelas ruas da cidade, há símbolos que representam o caminho que os monarcas faziam após serem coroados nesta igreja. Segundo a guia, a cidade se tornava palco de festa durante as coroações e as fontes públicas tinham sua água substituída por vinho. Que tal?

A catedral foi construída em 1452, em estilo gótico antigo, e é uma das poucas no mundo com o estilo original ainda em pé, já que a grande maioria das igrejas europeias foram destruídas durante as guerras e reconstruídas em estilo neogótico.

Em frente à catedral, por muitos séculos existiu uma sinagoga, provando a tolerância existente no país. Porém, em 1970, a sinagoga foi destruída pelo governo comunista para a construção da rodovia e hoje é lembrada por uma imagem, no local que ocupava.

Durante o regime comunista, o governo decidiu que a (extinta) Tchecoslováquia teria uma capital com aspecto histórico, exibindo todos seus belos prédios antigos, e outra capital moderna. Assim, iniciou-se um processo de modernização (ao estilo comunista) da Bratislava, enquanto Praga foi mantida como a capital oficial e histórica do país. Como consequência, hoje o centro histórico da Bratislava é cortado por uma rodovia, estando o castelo de um lado, e a catedral do outro. A guia referiu-se a isto com um ar de tristeza e reprovação, já que, segundo ela, a estrada é uma “cicatriz no rosto da Bratislava”. Com cicatriz ou não, eu sinceramente achei a Bratislava uma menina muito bonita!

O miradouro Most SNP, no alto da ponte, é “carinhosamente” chamado de disco-voador (UFO Tower), já que tem um aspecto um tanto peculiar… 😉 Não subi na torre, mas ela é aberta a visitações, a uma taxa de € 9,90 (em 2022), que não é cobrada caso vás a um dos sofisticados restaurantes situados no topo.

O Castelo da Bratislava, construído no século X, já passou por diversas reformas, em decorrência de diversas guerras e incêndios ao longo dos séculos, que acabaram por alterar completamente o seu estilo arquitetônico.

Castelo da Bratislava

A vista do alto da colina do castelo sobre a Cidade Velha já vale a subida!

Igreja de Santa Isabel, também conhecida como Igreja Azul, também é parada obrigatória de visita na Bratislava, porque é toda diferentona e se destaca de qualquer outra igreja que eu já tenha visto!

Idioma

E que tal aprender umas palavrinhas em eslovaco, para ser simpático durante a visita? Já preparei uma lista das principais:

Vais viajar e já queres deixar tudo organizado antes? Faz já as tuas reservas de passagens, acomodação, seguro-viagem e tudo mais que precises, usando os links marcados aqui e aproveita alguns descontos especiais! Ao comprar serviços oferecidos por estes sites, tu não estarás pagando nenhuma taxa a mais, algumas vezes estará ganhando descontinhos e ainda estará apoiando o meu trabalho, para continuar trazendo mais e mais dicas para ti!

Banner- afiliados

Braga: um bate-e-volta indispensável a partir do Porto

Localizada pertinho do Porto, Braga é uma das cidades que não podem faltar no roteiro de quem visita o norte de Portugal: tenho certeza que também vais te apaixonar pelo centro histórico e pelo belo cenário do Santuário do Bom Jesus do Monte! Vem comigo descobrir Braga neste roteiro de 1 dia?

Melhor forma de explorar Braga

Braga está localizada a apenas 40 minutos de carro a norte do Porto, ou 1h e 8 min de trem. Esteja viajando de carro ou de trem, o centro histórico da cidade precisa ser explorado à pé. Caso queiras visitar os Santuários recomendados neste roteiro, podes chegar lá de carro, transporte público ou Uber/Bolt.

Caso queiras alugar um carro para aproveitar a tua viagem com maior liberdade, acessa Rent Cars e compara os melhores preços em mais de 100 locadoras de veículos!

Onde se Hospedar

Como este roteiro pode ser perfeitamente feito em um dia, recomendo que fiquem hospedados no Porto, para não sofrer com check-ins e check-outs e transportar as bagagens de um lado para outro. Vê as centenas de opções de hospedagem no Porto no Airbnb (com direito à descontão na tua primeira reserva) ou no Booking.com.

Seguro Viagem

Já sabemos a importância de estarmos cobertos por um Seguro Viagem, que além de ser uma exigência para brasileiros entrarem em qualquer país do Espaço Schengen, também nos livra de eventuais despesas de saúde, extravio de bagagem, atraso ou perda de voo, repatriação, além de todo apoio prestado pelas seguradoras.

Para garantir o melhor serviço ao menor custo, compare ofertas de diversas seguradoras e ganhe 5% de desconto imediato usando o cupom ASEMFRONTEIRAS5 em Seguros Promo e também com a IATI Seguros e esteja protegido, em caso de imprevistos desagradáveis durante a sua viagem!

Roteiro de 1 dia em Braga

No Centro Histórico de Braga, não deixes de visitar:

Arco da Porta Nova: uma das portas da antiga muralha de Braga. Curiosamente, este arco nunca recebeu uma porta, e isso levou à expressão popular “és de Braga?”, muito escutada quando alguém deixa uma porta aberta.

Sé de Braga: diz-se ter sido fundada pelo apóstolo Tiago e, apesar de ter passado por ampliações ao longo dos séculos, o edifício data do século XI!

Igreja da Misericórdia de Braga: erguida entre 1560 e 1562, mas só em 1891 adquiriu o aspecto que tem hoje, de estilo renascentista.

Rua do Souto: tradicional rua comercial de Braga, de circulação exclusiva de pedestres.

Jardim de Santa Barbara: este é um belo jardim público da cidade, encantador, com o Antigo Paço Arquiepiscopal completando o cenário.

Castelo de Braga: o castelo foi destruído no início do século XX e, atualmente, resta apenas a sua torre, que era usada como ponto central de proteção do Castelo.

Praça da Republica e Jardim da Avenida Central: eu diria que esta praça é o coração de Braga, lindamente decorada com um chafariz e um encantador jardim.

Convento dos Congregados: a basílica e o colégio, que compõem o convento, datam do século XVIII, em estilo barroco e rococó. 

Palácio do Raio: Palácio construído em meados do século XVIII, em estilo barroco joanino, também é conhecido como Casa do Mexicano. Sua decoração externa, com seus belos azulejos azuis, é o que atrai os visitantes.

Depois de explorar o centro histórico, é hora de partir para o próximo ícone de Braga: o Santuário Bom Jesus do Monte. A vista da igreja no alto da colina é completada pela escadaria e pelo parque que a rodeiam: lindíssimo. Para chegar lá, será necessário ir de carro, uber ou ônibus (nº 2, 83 ou 91).

Ao chegar às escadas, podes optar por subir ao santuário pela escadaria, caso estejas com disposição, ou, então, de carro ou pelo funicular, que custa € 1,50 para um trecho ou € 2,50 para ida e volta, por adulto. O acesso ao santuário é gratuito. Para mais informações sobre horários de abertura e de missas, acessa aqui o site oficial.

Caso ainda queiras visitar outro santuário, recomendo adicionar o Santuário de Nossa Senhora do Sameiro ao roteiro, que está localizado a apenas 7 minutos de carro dali. Veja as informações e horários atualizados aqui.

Gostaste do roteiro e dicas? Marca aqui quem tu gostarias de levar para conhecer essa linda região de Portugal e compartilha com os amigos que também querem conhecer mais desta terrinha! Ah, e não deixa de ler também o artigo Guia local: o que fazer no Porto em 03 dias (ou mais)!

** Este post contém links para sites afiliados. Ao comprar serviços oferecidos por estes sites, tu não pagarás nenhuma taxa a mais, muitas vezes ganharás descontinhos e ainda estarás ajudando o projeto Amanda Sem Fronteiras a trazer mais e mais dicas pra ti! Este site parceiro não manipula a minha opinião sobre a experiência que relatei neste post ou sobre o serviço oferecido. Recomendo apenas o que uso e confio, para ajudar no planejamento e organização da tua viagem! **

Explorando Portugal: a doce Coimbra!

Coimbra é uma cidade lindinha, a meio do caminho entre Porto e Lisboa, e é destino de muitos brasileiros também, seja a turismo, estudo ou trabalho. Prepara o fôlego para algumas subidas e descidas e vem descobrir esta cidade comigo!

Sabiam que Coimbra foi capital de Portugal por dois séculos, até XII? Até o século XIX, a cidade era delimitada por uma muralha, mas as obras de desenvolvimento realizadas pelo Marquês do Pombal ampliaram a cidade para além das suas limitações. Em 2013, a Universidade de Coimbra, a Alta e a Sofia foram adicionadas à lista de Patrimônio Mundial da UNESCO. Então, como já podem imaginar, Coimbra respira história e não faltam atrações para visitar!

O que fazer em Coimbra

Alguns dos pontos indispensáveis no centro histórico são a Sé Velha, a Sé Nova, a Porta e Torre de Almedina, a Porta da Barbacã, o Palácio Sub-Ripas, a Torre da Contenta, a Torre de Anto, além do Mosteiro e a Igreja de Santa Cruz e da legendária Quinta das Lágrimas.

Um dos lugares que mais me encantaram em Coimbra foi a Praça Largo da Portagem, decorada com um monumento em homenagem a Joaquim António de Aguiar e a charmosa arquitetura dos prédios ao seu redor.

Chegar na Almedina, a parte Alta da cidade, exige algum esforço, seja para subir as suas escadarias ou colinas, mas a vista é recompensada: não deixes que a preguiça tome conta!

A Universidade de Coimbra foi fundada em meados do século XVI e logo tornou-se um ponto central da história da cidade. Assim, não se pode deixar de visitar o icônico Paço das Escolas. O acesso ao pátio é livre, mas para visitar a linda Biblioteca Joaquina, a Real Capela de São Miguel, o Paço Real, o Museu de Ciências e subir à torre da universidade o ingresso custa € 13,50 por pessoa (sujeito a descontos ou reduções caso não queiram visitar todas as áreas). Para ver os diferentes programas e escolher o que preferes, visita o site oficial.

Infelizmente não é permitido fotografar no interior da Biblioteca Joanina e da Real Capela de São Miguel, mas o site da Universidade de Coimbra disponibiliza algumas fotos, para deixar-nos curiosos para visitá-las!

O Paço Real era onde localizavam-se os aposentos do Rei de Portugal, quando em Coimbra. Do alto do prédio do Paço Real tem-se uma belíssima vista da cidade, incluindo a Sé Velha (à direita).

A Sala dos Capelos, também conhecida como Sala dos Grandes Atos, fica no interior do Paço Real e ali acontecem as principais cerimônias acadêmicas da Universidade de Coimbra e as provas dos doutorais.

O Jardim Botânico da Universidade de Coimbra não é tão grande quanto o do Rio de Janeiro, mas este refúgio verde no coração da cidade também é lindo e merece uma visita! Está localizado logo ao lado da Universidade, então é super fácil de encontrá-lo e não pode ficar de fora do roteiro!

Como chegar lá

Coimbra está mais ou menos ao meio do caminho entre o Porto e Lisboa, então é uma ótima ideia para quem deseja explorar mais cidades de Portugal, sendo facilmente acessível de trem (PT comboio), ônibus (PT autocarro) ou carro.

Explorando a região

Para quem gosta de história, recomendo também uma visita ao sítio arqueológico de Conimbriga, nos arredores de Coimbra. É um passeio muito interessante, que contempla um museu com artefatos e explicações históricas, além das ruínas da cidade, que são consideradas Patrimônio Cultural de Portugal. Conimbriga esteve habitada entre os séculos IX a.C. e VIII, inicialmente por indígenas, depois pelos romanos, até que foram invadidos e saqueados pelos bárbaros e suevos. Está aberto para visitação diariamente, entre das 10h às 19h (exceto em 01/01, domingo de Páscoa, 01/05 e 25/12) e o bilhete normal custa € 4,50 por pessoa.

Quem tiver tempo para descobrir mais das belezas da região, também recomendo um esticão até a praia de Figueira da Foz, a Serra da Lousã, as Buracas do Casmilo, as aldeias de Xisto e a doce cidade de Aveiro!

Onde ficar em Coimbra

O fim de semana em Coimbra foi de passeio e, também, de muito descanso! Para isso, o Vila Galé Coimbra foi o hotel perfeito para esta estadia!

Não sei se gostei mais do café da manhã, do jantar, das piscinas ou do conforto do quarto! Acredita que até na academia eu fui? Mas só porque eu pude caminhar na esteira olhando para a piscina interna e mentalizando “só mais 5 minutos e eu me jogo nessa hidromassagem”! 😅 Dá uma olhada nas fotos do hotel!

Onde comer em Coimbra

Outro ponto importante em qualquer viagem: onde e o que comer. Quando eu viajo, costumo fazer uma refeição em restaurante por dia, geralmente cedinho à noite, para experimentar pratos tradicionais. Durante o dia, eu gosto de explorar a cidade e acabo comprando um lanche ou uma daquelas saladas prontas em algum supermercado e vou comer em algum parque com uma vista legal. Em Coimbra não foi muito diferente, mas na noite de sábado, ao invés de comer pratos da gastronomia portuguesa, aproveitamos a noite italiana no restaurante do hotel Vila Galé Coimbra, com um buffet muito variado e música ao vivo

O som da música italiana e o ótimo aspecto do buffet foram irresistíveis! Com um rico buffet de pratos quentes, queijos e sobremesas, e um espetáculo ao vivo, todos os sábado o Vila Galé Coimbra oferece una bellissima notte! Desliza para o lado para ver um pouquinho do buffet e da trilha sonora da noite!

Para quem quiser outras sugestões, adiciono aqui o ranking do Tripadvisor (que é o meu guia favorito na hora de planejar as minhas viagens). Podem adicionar vários filtros à pesquisa, para encontrarem os restaurantes mais recomendados para a sua preferência (de acordo com a opinião de pessoas que já experimentaram!).

Coimbra também é muito conhecida pelos doces conventuais, feitos especialmente à base de ovos, açúcar e amêndoas! Manjar branco, cavacas altas, pastéis de Santa Clara e barrigas de freira são apenas alguns dos famosos doces tradicionais de Coimbra. Curiosos para experimentar?

Seguro Viagem

Já sabemos a importância de estarmos cobertos por um Seguro Viagem, que além de ser uma exigência para brasileiros entrarem em qualquer país do Espaço Schengen, também nos livra de eventuais despesas de saúde, extravio de bagagem, atraso ou perda de voo, repatriação, além de todo apoio prestado pelas seguradoras.

Para garantires o melhor serviço ao menor custo, compara ofertas de diversas seguradoras e ganha 5% de desconto imediato usando o cupom ASEMFRONTEIRAS5 em Seguros Promo e também com a IATI Seguros e esteja protegido, em caso de imprevistos desagradáveis durante a tua viagem!

Agora me conta nos comentários se já estiveste em Coimbra e como foi a experiência!

** Este post contém links para sites afiliados. Ao comprar serviços oferecidos por estes sites, tu não pagarás nenhuma taxa a mais, muitas vezes ganharás descontinhos e ainda estarás ajudando o projeto Amanda Sem Fronteiras a trazer mais e mais dicas pra ti! Este site parceiro não manipula a minha opinião sobre a experiência que relatei neste post ou sobre o serviço oferecido. Recomendo apenas o que uso e confio, para ajudar no planejamento e organização da tua viagem! **

Auschwitz e Birkenau

Escrever sobre Auschwitz e Birkenau não é fácil, assim como visitá-los também não foi. Mas é importante falar sobre isso, para que as atrocidades cometidas nunca sejam esquecidas e, assim, não corramos o risco de repeti-las.

Auschwitz I foi fundado na metade de 1940, devido à superlotação das prisões com o crescente número de prisioneiros polacos, e foi ampliado nos anos seguintes. No fim de 1941, os alemães construíram o seu maior campo: Auschwitz II-Birkenau, que tornou-se o maior campo de extermínio em massa de judeus. Auschwitz II-Birkenau chegou a abrigar 90 mil prisioneiros em 1944. Auschwitz III – Monowitz, surgiu em 1942 como um subcampo, em Monowice, sob administração de Auschwitz, mas posteriormente foi considerado independente. Além destes três maiores, entre 1942 e 1944, surgiram outros 47 subcampos menores, também sob comando de Auschwitz.

Inicialmente, Auschwitz concentrava apenas prisioneiros polacos, mas com o avançar da guerra, também foram para lá enviadas pessoas de outros países ocupados pelos alemães, ciganos e prisioneiros de guerra soviéticos. Já na chegada, as pessoas eram selecionadas, e todos aqueles considerados inaptos para o trabalho (pessoas doentes, idosos, mulheres grávidas e crianças) eram enviados diretamente para as câmaras de gás e nem sequer eram marcadas nos registros do campo.

Auschwitz Seleção
Seleção em Auschwitz II-Birkenau (AUSCHWITZ-BIRKENAU – história e presente, 2010, p. 11)

“Dentre um mínimo de 1,3 milhões de todas as pessoas deportadas para o campo KL Auschwitz, foram registradas e direcionadas ao campo cerca de 400 mil pessoas: cerca de 200 mil Judeus, 150 mil Polacos, 23 mil Ciganos, 15 mil prisioneiros de guerra soviéticos e 25 mil prisioneiros de outras nacionalidades. Mais de 50% dessas pessoas morreram em conseqüência da fome, trabalhos forçados, grande terror, execuções e também por resultado das péssimas condições de vida, doenças e epidemias, castigos, torturas e criminosos experimentos médicos.” (AUSCHWITZ-BIRKENAU – história e presente, 2010, p. 8)

Vítimas Auschwitz
Vítimas de Auschwitz (AUSCHWITZ-BIRKENAU – história e presente, 2010, p. 12)

Entre as outras vítimas estão algumas centenas, ou até milhares, de priosineiros checos, bielorussos, fraceses, russos, alemães, austríacos, eslovacos e ucranianos.

Os campos de concentração e de extermínio de Auschwitz e Birkenau estão localizados em Oświęcim, a aproximadamente 1h e 30min de Cracóvia, e pode-se chegar lá por transporte público ou em grupo. O acesso ao museu e aos campos é gratuito, mas é preciso aguardar em uma fila para emissão de um ticket nominal para o visitante (deve-se apresentar documento de identificação). O museu, que ocupa os blocos de Auschwitz-I, está aberto diariamente, a partir das 8h, e encerra a diferentes horários em cada época do ano (variando entre 15h, no inverno, e 19h, no verão). A duração da visita varia de acordo com o tempo dedicado a cada sessão do museu, mas eu recomendo no mínimo 3h e 30min para Auschwitz I e mais 1h a 1h e 30min para Auschwitz II-Birkenau.

O campo, como um todo, é um museu e memorial. Cada bloco é dedicado a um tema, onde alguns relatam cada parte desta triste história, outros relembram as vítimas e suas nacionalidades, outros reúnem as evidências encontradas ou relembram as péssimas condições de vida dos prisioneiros.

Auschwitz I
Foto aérea contemporânea dos terrenos do antigo campo Auschwitz I, tirada por Wojciech Gorgolewski (AUSCHWITZ-BIRKENAU – história e presente, 2010, p. 14)
Auschwitz6
45688012451_fcb9db85c1_o
45637456392_73bc271950_o
45688009211_c9d8893a7f_o
44963335614_36b4299010_o

As fotos, os relatos e os artigos expostos são chocantes.  Centenas de fotos e descrições pessoais de prisioneiros em ambos os lados de um corredor. Toneladas de cabelo feminino, que seria vendida como matéria-prima para a produção de tecido. Incontáveis malas, roupas, calçados e objetos pessoais, de pessoas que não imaginavam que estavam embarcando no que, muito provavelmente, seria a última viagem de suas vidas. Centenas de latas vazias de Zyklon B, o veneno usado nas câmaras de gás. A cela nº 27, onde o gás foi testado pela primeira vez. A parede onde tantos foram fuzilados. A câmara de gás e o crematório.

Após a visita ao museu, fomos a Auschwitz II-Birkenau, que é muito maior, com centenas de barracas, muitas delas destruídas pelos próprios alemães no final de 1944, na tentativa de apagar as provas dos seus crimes. Com a aproximação do exército soviético, os nazistas destruíram câmaras de gás, documentos e objetos, e evacuaram a pé todos os prisioneiros que ainda tinham condições de andar e enfrentar o rigoroso inverno polonês, em janeiro de 1945.

Auschwitz II-Birkenau
Foto aérea contemporânea dos terrenos do antigo campo Auschwitz II-Birkenau, tirada por Wojciech Gorgolewski (AUSCHWITZ-BIRKENAU – história e presente, 2010, p. 15)
Auschwitz8
Auschwitz3

Em Birkenau, podemos ver uma réplica de como eram internamente as barracas de alojamento e de latrinas. O que não se consegue sequer imaginar é como era a vida dos prisioneiros e como chegamos a tal atrocidade. Em 27 de janeiro de 1945, o Exército Vermelho finalmente chegou a Auschwitz e libertou os cerca de 7 mil prisioneiros que ainda lá estavam.

Auschwitz4
45042532484_e96ddf3c80_o
45042532304_de5fa5198b_o

Após a libertação, o campo tornou-se um memorial por iniciativa de um grupo de ex-prisioneiros. Atualmente, é mantido pela Polônia, com o apoio financeiro da Alemanha e de outros países, diversas instituições, fundações, pessoas particulares e projetos sociais. Para saber mais, acesse o material oficial do museu, gratuito e super detalhado, aqui.

“Those who do not remember the past are condemned to repeat it.” George Santayana

Banner- afiliados

Viagem Medieval

Anualmente, nas primeiras semanas de agosto, os visitantes de Santa Maria da Feira, em Portugal, são convidados a uma viagem medieval. São muitos os artistas caracterizados de personagens da Idade Média, os espetáculos de música, teatro e dança, e as opções de comidas e bebidas. É uma verdadeira festa para crianças e adultos!

 

 

Em 2018, eu tive a oportunidade de regressar ao século XIV e assistir ao teatro que representou o drama do amor proibido entre o Infante D. Pedro e Inês de Castro, que era dama de companhia da sua esposa, D. Constança Manuel. Segundo a lenda, os apaixonados encontravam-se secretamente na Quinta das Lágrimas, em Coimbra, até que D. Constança Manuel faleceu, em 1345, e ambos puderam viver juntos. Porém, a vida não ficou mais fácil… O Rei D. Afonso IV, pai do Infante D. Pedro, bem como a corte e o povo, não ficaram felizes com esta união e com o impacto que isto teria sobre o reino de Portugal, já que Inês era de origem castelhana. Com a crescente pressão por parte da corte, que reprovava fortemente esta união, em 1355, o Rei mandou assassinar Inês de Castro. A dor e o ódio levaram D. Pedro a iniciar uma revolução contra o pai, a qual foi interrompida pelas súplicas de sua mãe, a Rainha Beatriz de Castela.

Em 1357, após assumir o trono do reino, D. Pedro finalmente conseguiu a vingança que desejava e mandou matar cruelmente os assassinos de Inês. Anos mais tarde, o Rei D. Pedro ordenou o reconhecimento de Inês de Castro como Rainha póstuma, afirmando que haviam se casado em segredo, e transferiu o corpo da amada para o Mosteiro Real de Alcobaça, onde os dois finalmente puderam ficar juntos pela eternidade.

 

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

Além do espetáculo principal, a feira tem um extenso programa cultural, com belas apresentações e uma estrutura incrível. Além do castelo e do mosteiro originais, em 2018, foram “reconstruídos” o povoado, o arraial das ordens, o arraial militar, os banhos de São Jorge, o albergue do cavaleiro, a estribaria, a granja dos animais, as diversas feiras e muito mais!

feira-6_31684796118_ofeira-5_45557445711_ofeira-4_45557450711_o

Em 2018, o preço do ingresso esteve entre € 2.50 e € 4.50 por pessoa pelo bilhete diário, variando de acordo com o dia da semana, ou € 6 a € 8 por pessoa pela pulseira de acesso livre, de acordo com a antecedência da compra. A feira está aberta a partir das 10h até, pelo menos, a meia-noite! Além disso, oferece um Roteiro Acessível ao público com deficiência auditiva, visual e motora. Para mais informações e atualização sobre as próximas edições, acesse o site oficial.

 

 

Esta é uma das muitas coisas incríveis que Portugal tem a oferecer, entre tantos lugares, oportunidades e qualidade de vida!

Você também sonha em morar em Portugal? Então entre já em contato para saber mais sobre os serviços oferecidos pelo nosso parceiro de Consultoria Internacional. Com escritórios no Rio de Janeiro e no Porto, a equipe de profissionais do Passaporte Portugal oferece assessoria em processos de cidadania portuguesa, bem como de migração ou investimento em Portugal.

Vai viajar e já quer deixar tudo organizado antes? Comece a planejar a sua viagem por aqui, sem pagar qualquer taxa a mais, muitas vezes estará ganhando descontos e ainda estará ajudando o projeto Amanda Sem Fronteiras, para trazer mais e mais dicas para você!

Banner- afiliados

Toledo: o que fazer em 1 dia!

Toledo

A 75 km de Madri, localiza-se a charmosa cidade de Toledo: uma visita imperdível, que nos remete aos tempos medievais. Pelo transporte público, você pode optar entre o ônibus da Alsa, que leva cerca de 1h e é um pouco mais barato, ou o trem-bala da Renfe, que leva apenas 35 minutos desde Madrid-Puerta de Atocha até Toledo!

Sugiro que você compre o passeio em ônibus turístico da City SightSeeing, porque o preço é acessível e ele nos permite ter uma visão panorâmica da cidade por fora dos seus muros e além do rio Tejo. Se optar por fazer este circuito andando, levará mais de 1h e o percurso não é muito fácil, porque envolve subidas. Além disso, você pode subir e descer do ônibus o quanto quiser, dentro de 24h, e ainda pode fazer um passeio guiado à pé pelo centro da cidade e contar com alguns descontos oferecidos por empresas parceiras. O passeio em ônibus turístico pode ser reservado clicando aqui, ou, se preferir, você pode comprar aqui uma excursão de 8h, porque assim já está incluso o transporte de ida e volta entre Madrid e Toledo, e um passeio com guia de 1h e 30 min pelo centro de Toledo.

Toledo é um amor, com a sua arquitetura de forte influência árabe, e o bom mesmo é perambular pelas suas ruazinhas! Este roteiro é para ajudá-lo a se guiar, e assim ir conhecendo as coisas na melhor ordem, mas vale fugir um pouco dele e “se perder” pelas ruelas! Pronto para passear?

Caso você opte por chegar a Toledo por trem e comprar o passeio do ônibus turístico City SightSeeing, minha sugestão de roteiro é:

  • Estação de Trem: construída entre 1916 e 1920, em estilo Neomudéjar (árabe). Seu salão principal apresenta uma bela decoração, conservando a antiga bilheteria, pinturas, lustres e vitrais. Pegar o ônibus turístico aqui mesmo!

ToledoToledo

  • Mirante Do Vale: aproveitar a parada de alguns minutinhos que o ônibus faz aqui, para admirar e tirar fotos da bela vista de Toledo!

ToledoToledo

  • Ponte De San Martín: descer do ônibus nesta parada (nº 7 – Puente de San Martín), para apreciar a bela ponte do século XIV e seguir caminhando para dentro dos muros da cidade.

Toledo

  • Monastério de San Juan De Los Reyes: A construção do monastério começou em 1477 e só foi concluída em 1526. O monastério e a igreja foram muito danificados durante a guerra de independência espanhola, no início do século XIX, mas os trabalhos de restauro só iniciaram no final do século, sendo entregues à Ordem Franciscana em 1954. Ingresso: € 2.80*.

  • Sinagoga Santa María La Blanca: Atualmente um monumento nacional, a sinagoga foi construída no século XII e convertida em uma igreja da Ordem Calatrava no século XV. Em meados do século XVI, passou a abrigar uma beataria para prostitutas arrependidas e, no século XVIII, tornou-se o quartel da cidade. Após a guerra civil espanhola, no início do século XIX, foi entregue à Igreja Católica. Ingresso: € 2.80*.
  • Rua De São Tomé
  • Igreja De São Tomé: Após a conquista da cidade, no século XII, o edifício de uma antiga mesquita passou a abrigar a Igreja de São Tomé. Só no século seguinte, devido à sua deterioração, a igreja passou por extensas reformas. Ingresso: € 2.80*.
  • Igreja de São Ildefonso Jesuitas: Construída no século XVII em estilo barroco, vale a pena subir na torre, porque a vista da cidade é bonita. Ingresso: € 2.80*.
  • Termas Romanas: vestígios da prosperidade que marcou Toledo durante o Império Romano (séculos I- II d.c), foram utilizadas até o século VI. Acesso gratuito.
  • Prefeitura (ayuntamiento de Toledo)
  • Catedral De Toledo: catedral de estilo gótico, do século XIII. Acesso gratuito.
  • Alcázar De Toledo: palácio fortificado com muitos séculos de história, que foi usado como residência dos reis da Espanha em períodos, a partir do século XVI, e como ponto de resistência durante a guerra civil, em 1936. Porém, durante a guerra o palácio foi quase totalmente destruído e, posteriormente, passou por grandes reformas. Atualmente, abriga a Biblioteca de Castilla-La Mancha e o Museu do Exército. Acesso gratuito.
  • Plaza Zocodover: ao redor desta praça há várias ruelas, cheias de lojinhas, vale a pena perambular por ali!

38168145606_5df47d3939_o

  • Mercado San Agustin: mercado com diversos restaurantes, parece bem moderninho, mas não fomos até lá. Nós almoçamos no Restaurante Palacios e comemos super bem, sem pagar muito, então gostei! Há uma parede cheia de prêmios por recomendações Routard, de vários anos!
  • Ponte de Alcantara: vale a pena dar uma caminhadinha de 12 minutos até lá, porque tem uma vista bonita para o Castillo De San Servando. Aliás, tem escada rolante “Escaleras Zocodover”, para subir e descer o morro, então não é tão sofrido! Apesar de não ser possível visitar o castelo, a vista é bonita para fotos. Depois, pode voltar pelas escadas, para continuar fazendo o circuito por dentro da cidade murada.

DCIM100GOPROGOPR1025.JPG

  • Puerta Del Sol

  • Puerta De Bisagra

  • Muralha de Toledo: Toledo passou por diversas fases de conquistas por diferentes povos e, por isso, suas muralhas surgiram como forma de proteção para a cidade.

  • Jardines de la Vega: O jardim não é uma parada obrigatória em Toledo, mas, se sobrar tempo, vale dar uma caminhadinha por ali.
  • Palacio de Galiana: às margens do rio Tejo, este palácio foi construído no século XI pelo Rei Al Mamun, e possui este nome em homenagem à princesa muçulmana Galiana. Fica a 15 minutos andando da estação de trem, então é uma boa visita para encerrar o dia em Toledo, antes de retornar a Madrid!

* Alternativamente, caso queira visitar por dentro todas as igrejas, monastério e sinagoga, seria mais econômico comprar a Pulseira Turística de Toledo, do que pagar a entrada individual em cada uma. Atualmente, a pulseira pode ser adquirida em qualquer um dos sete monumentos onde ela dá acesso, por € 9. Estes monumentos são: Real Colegio Doncellas Nobles, Monastério de San Juan De Los Reyes, Sinagoga Santa María La Blanca, Igreja de São Ildefonso Jesuitas, Igreja De São Tomé, Cristo de La Luz – Antiga Mesquita e Igreja do Salvador.

Ah, quem vai a Toledo precisa experimentar o doce típico: o Mazapán. Ele é feito de amêndoas, ovo e açúcar. Acredita-se que é de origem árabe e que foi introduzido na Espanha durante a invasão muçulmana, no século VIII. Nós compramos na loja Mazapan de Sao Tome, que fica em frente à Praça Zocodover, e recomendamos!

Vai viajar e já quer deixar tudo organizado antes? Comece a planejar a sua viagem por aqui, sem pagar qualquer taxa a mais, muitas vezes estará ganhando descontos e ainda estará ajudando o projeto Amanda Sem Fronteiras, para trazer mais e mais dicas para você!

Banner- afiliados

Castelo de São Jorge: uma das principais atrações em Lisboa

Uma das principais atrações de Lisboa é, sem dúvidas, o Castelo de São Jorge. Do alto da sua colina, o castelo tem vista para a cidade e, justamente por isso, foi construído com a finalidade de exercer um papel de fortaleza.

Castelo de São Jorge Lisboa

Ao visitar o Castelo de S. Jorge, também visita-se o antigo paço real e uma área residencial destinadas às elites, sendo estas as três marcas da antiga cidadela medieval, também conhecida como alcáçova.

Castelo de São Jorge Lisboa

Construída pelos muçulmanos no século XI, a fortaleza foi conquistada por D. Afonso Henriques, primeiro rei de Portugal, em 1147. O Castelo de São Jorge esteve em seu auge entre os séculos XII e XVI, tendo sido ampliado e adaptado para acomodar o Rei, a Corte, o Bispo e o arquivo real. Ao longo dos séculos XIV, XV e XVI, foi lá que realizaram-se festas e aclamações de reis, com a presença de personagens ilustres, nacionais e estrangeiros. Entre os séculos XVI e XX, o castelo assumiu um papel militar.

Após o terremoto de 1755 em Lisboa, novas construções foram iniciadas e se sobrepuseram aos destroços. O castelo e as ruínas do paço real foram redescobertos em 1940, quando ocorreram obras no local. Na sequência, o castelo foi restaurado, reassumindo a sua imponência e voltando à exibição.

Castelo de São Jorge Lisboa

O Castelo de São Jorge é hoje considerado Monumento Nacional, devido à sua importância histórica, e é possível aprender sobre a ocupação da colina ao longo dos séculos visitando a Exposição Permanente e o Sítio Arqueológico.

No inverno, o castelo está aberto entre às 9h00 e às 18h00. Já no verão, o horário é estendido até as 21h00. Importante lembrar que a bilheteria fecha 30min antes do encerramento do castelo.

Castelo de São Jorge Lisboa

Atualmente, a visita custa € 8,50 por adulto, com descontos disponíveis para crianças, estudantes, famílias, deficientes, idosos, operadores turísticos, grupos escolares, residentes de Lisboa e de Portugal. Para saber mais informações atualizadíssimas sobre horário de funcionamento e preços, clique aqui!

Quer viajar ou viver em Portugal também? Esta é uma das muitas coisas incríveis que Portugal tem a oferecer, entre tantos lugares, oportunidades e qualidade de vida! Entre já em contato para saber mais sobre a consultoria de viagens Amanda Sem Fronteiras ou sobre os serviços oferecidos pelo nosso parceiro de Consultoria Internacional. Com escritórios no Rio de Janeiro e no Porto, a equipe de profissionais do Passaporte Portugal oferece assessoria em processos de cidadania portuguesa, bem como de migração ou investimento em Portugal.

Vai viajar e já quer deixar tudo organizado antes? Comece a planejar a sua viagem por aqui, sem pagar qualquer taxa a mais, muitas vezes estará ganhando descontos e ainda estará ajudando o projeto Amanda Sem Fronteiras, para trazer mais e mais dicas para você!

Banner- afiliados

Palácio de Versalhes

Para aqueles que vão à Paris, outra parada obrigatória, não muito longe dali, é o Palácio de Versalhes, ou Château de Versailles, na língua original. O Palácio e seus jardins são verdadeiramente lindos e merecedores de uma visita! Além disso, o palácio é rico em história, já que por ali viveram e passaram diversos reis franceses e importantes marcos históricos.

Sua construção iniciou em 1631, como uma casa de campo, que era usada pelo Rei Louis XIII quando ia à região de Versalhes caçar. Posteriormente, durante o reinado do seu filho, Louis XIV, o Palácio passou por diversas obras de ampliação e transformou-se em residência de lazer. Devido à paixão que o rei desenvolveu por estas terras, em 1682, o Palácio passou a ser usado como a principal residência da corte francesa e do governo. O local passou, então, a receber diversas festas e eventos. No entanto, as obras ainda estavam longe de serem completadas quando, em 1715, o rei Louis XIV faleceu e, logo em seguida, a corte francesa retirou-se de Versalhes.

Apenas anos depois do falecimento do pai, o novo rei, Louis XV, decidiu retornar ao palácio e retomar as obras internas e externas, criando aposentos menores e dando sequência a alguns projetos já iniciados anteriormente. Seu filho, o rei Louis XVI, nasceu em Versalhes e viveu no Palácio a maior parte de sua vida, diferentemente de seu pai. Foi na Ópera Real do Palácio que ocorreu o seu casamento com Marie-Antoniette, em 1770.

Palácio de Versalhes

A Revolução Francesa passou por Versalhes tirando-lhe o brilho, já que as mobílias e outros itens da Monarquia foram confiscados e vendidos a cidadãos e comerciantes. Assim, restaram apenas as obras de arte e de ciência, cujo confisco não estava incluído na lei de 1793, e os itens que a Família Real havia levado consigo na mudança para o Palácio das Tulherias, ou guardado em depósitos particulares.

Palácio de Versalhes

Em 1837, Louis-Philippe, o “Rei dos Franceses”, inaugurou em Versalhes um museu dedicado a todas as glórias da França ao longo dos séculos. Seu objetivo era reconciliar e reforçar a união do povo francês, indiferentemente de crenças políticas e ideológicas individuais.

O palácio tornou-se um símbolo de poder e protagonizou eventos importantes da história, além de expô-los em seu museu. Foi em Versalhes que o Império Germânico foi proclamado, em 1871, após a vitória dos prussianos sobre os franceses. Ironicamente, na mesma Sala dos Espelhos, onde quase 50 anos antes o Império Germânico havia sido declarado, em 1919, os alemães tiveram que assinar o tratado de paz, encerrando e assumindo a derrota na Primeira Guerra Mundial. Foi também no palácio que surgiu a Terceira República Francesa, quando o parlamento refugiou-se ali, e onde quinze eleições presidenciais ocorreram, entre 1873 e 1954.

Palácio de Versalhes

Outra importante contribuição para a manutenção do palácio foi feita pelo norte-americano John D. Rockefeller, que fez generosas doações, em agradecimento ao envolvimento francês na guerra de independência dos Estados Unidos.

Os Jardins do Palácio são realmente um espetáculo à parte! Com uma bela mistura de flores, fontes, estátuas, lagos e arbustos cuidadosamente podados. O estilo de jardim francês é uma dos que mais me agrada, com toda sua simetria e harmonia entre os elementos.

Este slideshow necessita de JavaScript.

A fila de entrada no Palácio era giganteeesca, mas, como nós já tínhamos comprado os ingressos online, pudemos cortar um bom pedaço desta longa espera. Então, fica a dica: sempre que possível, compre os ingressos antecipadamente, porque além de economizar tempo de espera, muitas vezes as empresas oferecem descontos na compra online!

Palácio de Versalhes

É possível comprar o ingresso para visitar o Palácio ou o Trianon e, em ambos os casos, está inclusa a visita aos jardins e à exibição de carruagens. Há, também, a possibilidade de comprar o “passaporte”, para 1 ou 2 dias, que inclui o acesso a todas estas áreas. Além disso, pode-se escolher assistir ou não aos shows musicais na fonte e nos jardins, a um adicional no preço do “passaporte”. Portanto, como viram, há diversas modalidades de preço, por isso recomendo que consultem os preços de acordo com as áreas que pretendem visitar e já comprem os ingressos online, para evitar as filas, clicando aqui.

Há, ainda, entrada gratuita ou com desconto para algumas pessoas, como jóvens com até 18 anos, residentes na União Europeia com até 25 anos, deficientes e seus acompanhantes, etc. Para conhecer todas as categorias elegíveis a estes descontos, verifique a lista completa clicando aqui. Dica: no primeiro domingo de cada mês, entre novembro e março, todos os visitantes têm direito à entrada gratuita.

Para chegar ao Palácio, saindo de Paris, é necessário pegar o trem RER C em direção a VICK Gare de Versailles Château/Rive Gauche ou SARA0T St-Quentin-en-Yvelines. A frequência desta linha é de um trem a cada 15min, aproximadamente, e a viagem leva em torno de 45min. É possível comprar a passagem no balcão ou nas máquinas automáticas (máquinas verdes).

Você pode escolher embarcar em qualquer uma das paradas do RER C em Paris, conforme for mais próximo e acessível para você: Gare d’Austerlitz, Saint-Michel – Notre-Dame, Musée d’Orsay, Invalides, Champ de Mars-Tour Eiffel, Javel,… Então, vale dar uma consultada no Google Maps antes, para saber qual é a estação mais próxima e, assim, evitar deslocamento desnecessário até outra estação. Já em Versalhes, você deve descer na estação Gare de Versailles Château Rive Gauche ou Gare de Versailles Chantiers.

Vai viajar e já quer deixar tudo organizado antes? Comece a planejar a sua viagem por aqui, sem pagar qualquer taxa a mais, muitas vezes estará ganhando descontos e ainda estará ajudando o projeto Amanda Sem Fronteiras, para trazer mais e mais dicas para você!

Banner- afiliados

Praga: alto valor por baixo custo

Praga é uma cidade relativamente barata, quando comparada a outras capitais europeias. Por isso, acabei me dando alguns luxos que não são costumeiros nas minhas viagens, como, por exemplo, me hospedar em um hotel 4 estrelas! Reservei um quarto executivo, que era incrivelmente confortável, com banheira e miminhos, por EUR 40 a noite! Além disso, neste valor estava incluso um buffet MARAVILHOSO de café da manhã, com uma diversidade enorme de pães, ovos, frutas, queijos, bolos, cafés, sucos e muuito mais… Fazendo jus ao nome do hotel, há música clássica no elevador e frases de Mozart na decoração do hotel. Então, a única coisa que tenho a dizer sobre a minha experiência no Hotel Don Giovanni é que foi mesmo TOP e recomendo este hotel para quem for a Praga! Ah, e para que vocês tenham noção do quão incrivelmente ótimo foi o custo-benefício deste hotel, vou comparar com a acomodação das noites anteriores, na Bratislava: paguei EUR 30 por diária em um hostel super simples, com uma (falta de) qualidade que me decepcionou e sem café da manhã. Então, comparando a qualidade dos dois serviços, dá pra entender porque achei este hotel de Praga tão barato e maravilindo, né?!

Mas, como eu sou mochileira de alma, para conhecer a cidade optei pelo transporte público e pelo uso das pernas mesmo! Para me deslocar do hotel até o centro da cidade, usei o metrô e comprei bilhetes unitários “short term”, que são válidos por 30 minutos. Cada um custou 24 coroas tchecas, que equivale a aproximadamente € 0,95 ou R$ 3,80. Neste caso, o bilhete unitário era o que valia mais a pena, porque é fácil conhecer o centro histórico de Praga caminhando. Assim, usei o transporte público apenas para ir e voltar do hotel e gastei no total CZK 48.

Preços transporte público Praga 2017
Preços transporte público Praga 2017

De qualquer forma, é sempre importante planejar o roteiro antes e pesquisar como funciona o transporte público na cidade de destino, para já calcular e saber qual das modalidades é mais econômica em cada situação.  Por exemplo, diferente de Praga, em Viena e Berlim, que são cidades maiores, eu optei pelo bilhete diário, que permite usar o transporte público tanto quanto quiser, de acordo com as regiões selecionadas!

Mais uma vez, em Praga fiz um passeio guiado à pé, com a empresa Sandesman. O guia era um rapazinho de origem tcheca, mas que nasceu nos Estados Unidos, já que a sua família se mudou para lá em busca de uma vida melhor durante as épocas difíceis que a República Tcheca enfrentou. Este tipo de tour guiado é a melhor forma que já experimentei de conhecer e aprender sobre as cidades!

Enquanto a maioria das capitais europeias foi devastada durante as guerras, Praga manteve-se bem preservada. Isto porque, a cidade foi alvo de apenas um bombardeio durante a Segunda Guerra Mundial, o qual ainda ocorreu acidentalmente, pois pensavam que tratava-se de Dresden. Segundo o guia, eles acreditam que Hitler planejava viver em Praga e tornar o Bairro Judeu de Praga em um “museu de uma raça extinta”, depois que conquistasse o seu objetivo. Horrível só de imaginar!

Muito antes da Segunda Guerra Mundial, lá no século XXIII, todos os judeus foram banidos de outras regiões de Praga e limitados a viver dentro dos muros do Bairro Judeu. Apesar do crescimento populacional, o povo judeu não era autorizado a morar em outras áreas da cidade, o que levou a uma série de problemas. Além da superlotação nas moradias, outra dificuldade foi para enterrar os mortos. Como não havia mais espaço disponível, foi necessário “reaproveitar” o terreno e enterrar uns por cima dos outros, chegando a haver até sete camadas em algumas partes do cemitério! O cemitério é a marca mais forte de toda a tristeza que os judeus sofreram nesta época, em Praga, e, por isso, torna-se obrigatório falar a respeito.

cemitério judeu Praga

Além do cemitério e das habitações, das quais muitas foram demolidas para a renovação desta área, no antigo Bairro Judeu localiza-se também a sinagoga mais antiga e bem conservada da Europa Central, conhecida como Old-New Synagogue e construída em 1270, em estilo gótico.

sinagoga Praga

Não gosto muito de escrever sobre esses assuntos sombrios, mas é impossível conhecer e aprender sobre as cidades e, depois, não compartilhar com vocês também sobre uma parte tão marcante da história, mesmo que tenha sido tão triste. Ao mesmo tempo que esse assunto é tão desagradável e entristecedor, considero de extrema importância que esse passado seja lembrado, para que tais atrocidades jamais sejam repetidas e para que a tolerância e o respeito sejam sempre promovidos.

Durante o tour, o guia mostrou o único teatro, ainda ativo, onde Mozart tocou: o Estates Theatre. Segundo o guia, Mozart apresentou em Praga a composição Don Giovanni, a mesma que havia apresentado em Viena, anteriormente. Porém, enquanto em Viena os expectadores BOCEJARAM, mostrando grande arrogância e descaso com o músico, em Praga, Mozart foi aplaudido de pé por 30 minutos ininterruptos. Este evento é lembrado com tanto orgulho pelos tchecos que foi criado um monumento em frente ao teatro, relembrando a apresentação de Mozart, ali realizada em 29 de outubro de 1787. A escultura é chamada de Il Commendatore e foi desenvolvida pela artista tcheca Anna Chromy.

Assim como eu já comentei em um post anterior, a República Tcheca e a Eslováquia compartilham alguns costumes, e um deles é a tradição da ceia de Natal. Em ambos os países, as pessoas comem peixe na ceia, mas o detalhe é: eles o compram vivo e o mantêm vivo até o Natal! A parte mais “doida” da história é que o peixe é comprado com mais ou menos uma semana de antecedência, para ter a certeza de que conseguirão um bom peixe. E, então, para mantê-lo fresco até o Natal, o peixe permanece vivo, nadando na banheira da família! Ou seja, o pobre peixe vira quase um animal de estimação antes de virar a ceia. Isso pode nos parecer uma tradição esquisita e até engraçada, por ser diferente dos nossos próprios hábitos, mas nos cabe respeitar a cultura local sempre!

Outra curiosidade sobre Praga é que, antigamente, as casas costumavam ser identificadas por símbolos, ao invés de números, e estes símbolos foram mantidos em algumas delas até hoje. Por exemplo, andando pelas ruelas de Praga, passamos pela “Casa do Melão Dourado” e pela “Casa do Cacho de Uvas”. Engraçado, não? Qual nome e símbolo você daria para a sua casa?

Aguardem, que em breve eu vou compartilhar mais sobre essa cidade linda, que é grande merecedora de uma visita!

Vai viajar e já quer deixar tudo organizado antes? Comece a planejar a sua viagem por aqui, sem pagar qualquer taxa a mais, muitas vezes estará ganhando descontos e ainda estará ajudando o projeto Amanda Sem Fronteiras, para trazer mais e mais dicas para você!

Banner- afiliados

Palácio Nacional de Queluz

Em nossa visita à região de Sintra, visitamos vários palácios lindos, mas o Palácio Nacional de Queluz foi especial, devido aos seus laços com a história brasileira. Eu, que sinceramente não lembro muita coisa sobre as aulas de história, adorei conhecer o palácio e (re)aprender um pouco sobre Dom Pedro I, já que o rei de Portugal e Imperador do Brasil nasceu e morreu neste Palácio.

O primeiro “detalhe” importante que aprendemos é que o Dom Pedro I, como é conhecido no Brasil, na verdade, era chamado de Dom Pedro IV em Portugal. Isto porque ele foi o Primeiro Imperador do Brasil e Quarto Rei de Portugal com este mesmo nome.

A história do Palácio teve início no princípio do século XVII, como a Casa de Campo do marquês D. Cristóvão de Moura. Ela foi confiscada pelo governo em 1640 e, em 1654, ganhou o título de Casa do Infantado. No entanto, foi sob ordens e atenção do Rei D. Pedro III que, entre 1747 e 1786, o Palácio tomou a forma que apresenta hoje. O Palácio tornou-se, então, a residência de verão da Família Real, e foi habitado desde 1794 até 1807, quando D. João VI e a Corte partiram para o Brasil, após as invasões francesas em Portugal.

Este slideshow necessita de JavaScript.

O Palácio assume uma forma próxima a um “U”, com longas janelas e portas de vidro em ambos os lados, criando uma conexão entre o Palácio e seu belo jardim.

Foi uma visita super interessante e eu adorei o sentimento de conexão com a história que eu senti ao passear por esse palácio. Nossa visão não é o único senso que se delicia com as belezas de conhecer um novo lugar: cada passeio nos apresenta cheiros, sabores, sons e sensações próprios. Viajar é muito mais do que conhecer pontos turísticos, porque temos sempre muito a aprender com cada lugar e experiência.

Há diversas modalidades de preço da visita, dependendo que você está interessado em visitar apenas o jardim ou o jardim e o Palácio. Além disso, há descontos para jovens, idosos ou famílias. Há, ainda, a possibilidade de comprar estes ingressos em conjunto com outros da região de Sintra, que assim acabam sendo mais baratos do que comprá-los individualmente.

Os horários de funcionamento variam de acordo com a época do ano, então vale dar uma conferida no site, para que você consiga organizar melhor a sua visita! Para mais informações, clique aqui e visite o site oficial!

Quer viajar ou viver em Portugal também? Esta é uma das muitas coisas incríveis que Portugal tem a oferecer, entre tantos lugares, oportunidades e qualidade de vida! Entre já em contato para saber mais sobre a consultoria de viagens Amanda Sem Fronteiras ou sobre os serviços oferecidos pelo nosso parceiro de Consultoria Internacional. Com escritórios no Rio de Janeiro e no Porto, a equipe de profissionais do Passaporte Portugal oferece assessoria em processos de cidadania portuguesa, bem como de migração ou investimento em Portugal.

Vai viajar e já quer deixar tudo organizado antes? Comece a planejar a sua viagem por aqui, sem pagar qualquer taxa a mais, muitas vezes estará ganhando descontos e ainda estará ajudando o projeto Amanda Sem Fronteiras, para trazer mais e mais dicas para você!

Banner- afiliados