15 Mitos e Verdades sobre Portugal

Em 24/01 foi ar um episódio do projeto #ReconstruindoNoMundo em que eu respondi 18 perguntas sobre Portugal, contando se são Mito ou Verdade! Fiquei chocada com a má impressão que vocês têm dos portugueses, então contei nesse vídeo qual é a minha opinião e também respondi várias questões interessantes para quem tem curiosidade, ou pensa em morar em Portugal. Neste artigo, vou contar resumidamente a minha opinião sobre esses tópicos, então, se quiserem o conteúdo completo, convido vocês a assistirem o vídeo no YouTube ou ouvir o Podcast!

Importante lembrar que esta é a minha opinião, baseada nas experiências que eu vivi nos últimos 4 anos, mas cada pessoa passa por experiências únicas e isso pode levar a opiniões diferentes das que exponho aqui.

Neste artigo, respondo se é mito ou verdade que:

É verdade que é fácil conseguir visto de trabalho em Portugal?

VERDADE! A legislação portuguesa é muito aberta a receber imigrantes que queiram trabalhar. Independentemente do cargo e salário, basta conseguir uma oferta de trabalho, que já podes dar entrada na solicitação de visto / autorização de residência (e atendendo também as outras regras para conseguir a aprovação, é claro!), então não há grandes entraves burocráticos! Vê mais informações no site oficial do SEF.

É verdade que é fácil se adaptar em Portugal?

VERDADE! Não só pelo idioma, mas me sinto em casa em Portugal por muitos motivos! A comunidade brasileira em Portugal é muito grande, então facilmente encontramos comidas, músicas, novelas, produtos brasileiros e muito mais! Além disso, acho o clima do Porto muito parecido ao do Rio Grande do Sul, então, para mim, até isso foi “fácil” de acostumar.

É verdade que os portugueses são mal-humorados, rudes e grosseiros?

Um pouco mito, porque não concordo com generalizações, cada pessoa é diferente e não gosto de “classificar” os portugueses como se fossem todos iguais.

Um pouco verdade, porque são SIM diferentes dos brasileiros e costumam ser muito mais diretos, literais e frontais, o que pode soar rude, mas a verdade é que estão sendo duramente sinceros e sem filtros.

É verdade que o salário mínimo é baixo pelo custo de vida e que Portugal não é um país para enriquecer?

VERDADE! Apesar de o custo de vida em Portugal ser relativamente baixo (dependendo da cidade), comparado a outros países europeus, e o poder de compra aqui ser muito mais elevado do que no Brasil, o salário mínimo também é muito baixo e é apertado para viver em cidades grandes e pagar aluguel. Por isso, infelizmente concordo que Portugal não é o país ideal para quem quer economizar e enriquecer, porque é muito provável que te sobrem menos euros no final do mês do que tu gostarias!

É verdade que brasileiro pode morar em Portugal sem visto?

MITO! É verdade que existem muitos brasileiros que vieram para Portugal como turistas e ficaram, depois conseguiram emprego e se legalizaram, mas isso não significa que PODE: isso é IMIGRAÇÃO ILEGAL e pode vir muita dor de cabeça daí! Recomendo sempre que se organizem, para imigrar para Portugal legalmente, com visto de estudos, trabalho, reagrupamento familiar, etc. Já falei sobre como viver legalmente em Portugal isso nesse artigo, dá uma olhadinha lá!

É verdade que existem muitas oportunidades para os brasileiros?

VERDADE! Não sabemos exatamente como ficará a situação econômica pós-pandemia, mas considero Portugal um país de oportunidades por diversos motivos, por exemplo: conseguir visto/AR de trabalho, sem grandes burocracias; poder acessar o ensino superior sem gastar uma fortuna; poder solicitar a naturalização e cidadania portuguesa após 5 anos vivendo legalmente no país; poder viver com qualidade de vida, segurança, boa educação e saúde.

É verdade que é muito frio no inverno?

VERDADE! Apesar de ter um clima muito mais ameno que outros países europeus, em Portugal o inverno também é rigoroso, com muito vento e neve em algumas regiões. Para piorar a situação, as casas portuguesas não são bem preparadas para o inverno. Uma pesquisa feita pelo EU-SILC em 2019 apontou que 18,9% dos entrevistados em Portugal respondeu que não tem capacidade financeira para manter a sua casa aquecida, enquanto a média nos outros países da União Europeia é de apenas 7% (EU-SILC)! Isto porque, em Portugal não é comum as casas terem aquecimento central, então dependemos de fontes externas de aquecimento (aquecedor, ar condicionado…) e haja dinheiro para pagar a conta no fim do mês (e isso também confirma a questão de que os salários são baixos para o custo de vida em Portugal). Leiam mais sobre isso neste artigo, do Jornal Público.

É verdade que as comidas são deliciosas?

VERDADE! Bacalhau com natas, francesinha, pastel de nata, alheira, pataniscas de bacalhau, broa, rabanadas, e por aí vai… sou apaixonada pela gastronomia portuguesa!

É verdade que os Portugueses assistem as novelas brasileiras?

VERDADE! Isso foi algo que me surpreendeu muito quando cheguei em Portugal! Eles realmente assistem muitas novelas brasileiras, ouvem muitas músicas nossas, assistem futebol e muitas notícias!

É verdade que é possível fazer amigos portugueses?

VERDADE! Seja no trabalho, universidade ou vida pessoal, é SIM possível conhecer e fazer amigos portugueses!

É verdade que apesar de ambos os países falarem português, existem algumas dificuldades na comunicação?

VERDADE! Além do sotaque ser forte, há muitas expressões e palavras diferentes, ou com significados diferentes, que podem causar alguma dificuldade na comunicação (por exemplo, rapariga ou puto). Mas com bom senso e calma, logo se acostuma e dá para se entender bem! Todas as segundas-feiras, tenho postado no Instagram a série “Dicionário PT PT = PT BR”, dá uma olhada nos destaques para ver algumas das diferenças!

É verdade que o poder de compra em Portugal é baixo?

VERDADE E MITO, depende qual é a tua base de comparação! Comparado a outros países europeus, sim, o poder de compra em Portugal é baixo, mas comparado ao Brasil, é alto. Neste vídeo, comparei o poder de compra em Portugal e no Brasil, considerando o salário mínimo em cada um dos países. As outras participantes do #ReconstruindoNoMundo também fizeram essa comparação, e analisando todos os países, dá para perceber o que o poder de compra em Portugal é muito inferior ao da Alemanha, Inglaterra e Estados Unidos, por exemplo!

É verdade que Portugal é um país muito seguro?

VERDADE! Em 4 anos em Portugal, nunca me senti em uma situação de perigo, nem conheço alguém que já tenha sido assaltado por aqui! A sensação de poder andar sozinha à noite e poder ficar tranquila e distraída mexendo no celular na rua, não tem preço! Então SIM, é verdade que me sinto muito mais segura aqui em Portugal, morando no Porto, do que me sentia em uma cidade pequena no Brasil.

É verdade que há preconceito com imigrantes?

MITO, porque não considero Portugal e os portugueses xenófobos e preconceituosos de uma maneira geral, porque se fossem, a legislação não seria tão aberta para receber imigrantes, as empresas não seriam tão receptivas em contratar imigrantes, e não haveriam tantos brasileiros e outros estrangeiros por aqui.

VERDADE que aqui também existem pessoas preconceituosas, como infelizmente há em qualquer lugar do mundo. O importante é não deixar que essas pessoas pobres de espírito te atrapalhem, ou te façam sentir mal por estar buscando uma vida melhor e oportunidades melhores para ti. A nossa nacionalidade é nosso orgulho, jamais uma vergonha ou motivo de ofensa!

É verdade que os cursos universitários são muito baratos em Portugal?

VERDADE! Claro que os valores variam de acordo com a universidade e curso escolhido, mas para que tenham uma ideia, é possível fazer um mestrado por menos de € 5 mil pelo total dos 2 anos de curso!

Estas foram as minhas respostas para 15 das perguntas que recebi de vocês pelo Instagram! Agora me conta a tua opinião! O que mais gostaste de saber? O que mais te surpreendeu sobre estes mitos e verdades sobre Portugal?

Braga: um bate-e-volta indispensável a partir do Porto

Localizada pertinho do Porto, Braga é uma das cidades que não podem faltar no roteiro de quem visita o norte de Portugal: tenho certeza que também vais te apaixonar pelo centro histórico e pelo belo cenário do Santuário do Bom Jesus do Monte! Vem comigo descobrir Braga neste roteiro de 1 dia?

Melhor forma de explorar Braga

Braga está localizada a apenas 40 minutos de carro a norte do Porto, ou 1h e 8 min de trem. Esteja viajando de carro ou de trem, o centro histórico da cidade precisa ser explorado à pé. Caso queiras visitar os Santuários recomendados neste roteiro, podes chegar lá de carro, transporte público ou Uber/Bolt.

Caso queiras alugar um carro para aproveitar a tua viagem com maior liberdade, acessa Rent Cars e compara os melhores preços em mais de 100 locadoras de veículos!

Onde se Hospedar

Como este roteiro pode ser perfeitamente feito em um dia, recomendo que fiquem hospedados no Porto, para não sofrer com check-ins e check-outs e transportar as bagagens de um lado para outro. Vê as centenas de opções de hospedagem no Porto no Airbnb (com direito à descontão na tua primeira reserva) ou no Booking.com.

Seguro Viagem

Já sabemos a importância de estarmos cobertos por um Seguro Viagem, que além de ser uma exigência para brasileiros entrarem em qualquer país do Espaço Schengen, também nos livra de eventuais despesas de saúde, extravio de bagagem, atraso ou perda de voo, repatriação, além de todo apoio prestado pelas seguradoras.

Para garantir o melhor serviço ao menor custo, compare ofertas de diversas seguradoras e ganhe 5% de desconto imediato usando o cupom ASEMFRONTEIRAS5 em Seguros Promo e também com a IATI Seguros e esteja protegido, em caso de imprevistos desagradáveis durante a sua viagem!

Roteiro de 1 dia em Braga

No Centro Histórico de Braga, não deixes de visitar:

Arco da Porta Nova: uma das portas da antiga muralha de Braga. Curiosamente, este arco nunca recebeu uma porta, e isso levou à expressão popular “és de Braga?”, muito escutada quando alguém deixa uma porta aberta.

Sé de Braga: diz-se ter sido fundada pelo apóstolo Tiago e, apesar de ter passado por ampliações ao longo dos séculos, o edifício data do século XI!

Igreja da Misericórdia de Braga: erguida entre 1560 e 1562, mas só em 1891 adquiriu o aspecto que tem hoje, de estilo renascentista.

Rua do Souto: tradicional rua comercial de Braga, de circulação exclusiva de pedestres.

Jardim de Santa Barbara: este é um belo jardim público da cidade, encantador, com o Antigo Paço Arquiepiscopal completando o cenário.

Castelo de Braga: o castelo foi destruído no início do século XX e, atualmente, resta apenas a sua torre, que era usada como ponto central de proteção do Castelo.

Praça da Republica e Jardim da Avenida Central: eu diria que esta praça é o coração de Braga, lindamente decorada com um chafariz e um encantador jardim.

Convento dos Congregados: a basílica e o colégio, que compõem o convento, datam do século XVIII, em estilo barroco e rococó. 

Palácio do Raio: Palácio construído em meados do século XVIII, em estilo barroco joanino, também é conhecido como Casa do Mexicano. Sua decoração externa, com seus belos azulejos azuis, é o que atrai os visitantes.

Depois de explorar o centro histórico, é hora de partir para o próximo ícone de Braga: o Santuário Bom Jesus do Monte. A vista da igreja no alto da colina é completada pela escadaria e pelo parque que a rodeiam: lindíssimo. Para chegar lá, será necessário ir de carro, uber ou ônibus (nº 2, 83 ou 91).

Ao chegar às escadas, podes optar por subir ao santuário pela escadaria, caso estejas com disposição, ou, então, de carro ou pelo funicular, que custa € 1,50 para um trecho ou € 2,50 para ida e volta, por adulto. O acesso ao santuário é gratuito. Para mais informações sobre horários de abertura e de missas, acessa aqui o site oficial.

Caso ainda queiras visitar outro santuário, recomendo adicionar o Santuário de Nossa Senhora do Sameiro ao roteiro, que está localizado a apenas 7 minutos de carro dali. Veja as informações e horários atualizados aqui.

Gostaste do roteiro e dicas? Marca aqui quem tu gostarias de levar para conhecer essa linda região de Portugal e compartilha com os amigos que também querem conhecer mais desta terrinha! Ah, e não deixa de ler também o artigo Guia local: o que fazer no Porto em 03 dias (ou mais)!

** Este post contém links para sites afiliados. Ao comprar serviços oferecidos por estes sites, tu não pagarás nenhuma taxa a mais, muitas vezes ganharás descontinhos e ainda estarás ajudando o projeto Amanda Sem Fronteiras a trazer mais e mais dicas pra ti! Este site parceiro não manipula a minha opinião sobre a experiência que relatei neste post ou sobre o serviço oferecido. Recomendo apenas o que uso e confio, para ajudar no planejamento e organização da tua viagem! **

Road trip pelos encantos da Baviera

Sou completamente apaixonada por road trips e vou compartilhar neste artigo uma parte do roteiro da viagem mais incrível que já fiz de carro! Nesta viagem, em setembro de 2018, passamos pela Alemanha, Suíça, Liechtenstein e Áustria, curtindo paisagens incríveis, e vou compartilhar com vocês o roteiro por partes, para que cada pedacinho receba a atenção que merece! Neste artigo, conto sobre cidades encantadoras, castelos, lagos e montanhas imperdíveis na Baviera, a romântica região ao sul da Alemanha. Vem descobrir a Baviera comigo?

Quando visitar a Baviera

Tenho certeza que vale a pena visitar esta região em qualquer estação do ano, mas caso queiras aproveitar a maior e mais divertida festa alemã, recomendo MUITO que planejes esta viagem para a época da Oktoberfest, que costuma começar no terceiro sábado de setembro e terminar no primeiro domingo de outubro de cada ano.

Melhor forma de explorar a região

O percurso total da rota sugerida, com partida de Memmingen e retorno a Munique, tem uma extensão de aproximadamente 310km, equivalente a cerca de 4 horas na estrada. Como há muitas belas paragens no caminho, temos certeza de que os destinos compensarão o esforço de conduzir!

Quando pensares em fazer uma road trip como esta, aproveita o cupom de desconto IABRL15 e economiza 15% no aluguel de carro com a Centauro (válido até fim de 2020 – extras não incluídos)!

Onde ficar na Baviera

Recomendo que busque hospedagem ao longo do trajeto, de acordo com o ritmo que queiras seguir. Veja centenas de opções de acomodação no Airbnb (com direito à descontão na tua primeira reserva) ou no Booking.com.

Seguro Viagem

Já sabemos a importância de estarmos cobertos por um Seguro Viagem, que além de ser uma exigência para brasileiros entrarem em qualquer país do Espaço Schengen, também nos livra de eventuais despesas de saúde, extravio de bagagem, atraso ou perda de voo, repatriação, além de todo apoio prestado pelas seguradoras.

Para garantires o melhor serviço ao menor custo, compara ofertas de diversas seguradoras e ganha 5% de desconto imediato usando o cupom ASEMFRONTEIRAS5 em Seguros Promo e também com a IATI Seguros e esteja protegido, em caso de imprevistos desagradáveis durante a tua viagem!

Roteiro pelos encantos da Baviera
1. Memmingen

A apenas 120km de Munique fica a pequena e doce cidade de Memmingen. Nesta cidade, há também um aeroporto com voos low cost da Ryanair, então é uma boa opção para pegar o carro alugar e iniciar a rota e depois entregá-lo em Munique, e foi o que fizemos.

Perder-se pelo centro histórico de Memmingen é, sem dúvidas, a melhor maneira de explorar a cidade! Suas casinhas coloridas e canais dão um toque especialmente romântico à região, e não deixe de passar por: Ulmer Tor, Rathaus Memmingen, Hexenturm e Westertor.

2. Lindau

Lindau é uma cidade-ilha às margens do Lago Constança (Bodensee, em alemão), que limita a fronteira entre Alemanha, Áustria e Suíça. Algumas das atrações imperdíveis da cidade são a Maximilianstraße, a Marktplatz, a Altes Rathaus e o porto de Lindau!

Dica importante: recomendo deixar o carro em um dos estacionamentos antes da ponte Seebrücke, porque o espaço na ilha é muito limitado.

Para saber mais sobre Lindau e ver mais fotos lindas desta cidade, dá uma olhada no artigo Roteiro pela Baviera: Lindau em 01 dia (ou algumas horas)!

3. Füssen

A caminho do castelo mais visitado e fotografado na Alemanha, não deixes de parar em Füssen para passear pelo seu centro histórico, incluindo o castelo Hohes Schloß, a Abadia de St. Mang e o Museu de Füssen. Depois, caminhe também até o Lechfall e encante-se com a sor desta água e a pequena cascata em degraus. Recomendo que reserves algumas horas para aproveitar os encantos deste típico vilarejo alemão.

4. Castelo de Neuschwanstein

Um roteiro pela Baviera não está completo se não incluir o Castelo de Neuschwanstein! Tu sabias que este castelo inspirou a Disney, ao criar o Castelo da Cinderela? Pois é, sua beleza é mesmo digna de conto de fadas!

Da Marienbrücke, temos a vista mais impressionante do castelo: sua grandiosidade no topo de uma montanha, enfeitando a paisagem. No caminho até esta ponte, para também para apreciar a fantástica vista para o Castelo de Hohenschwangau e para lago Alpsee, entre montanhas!

O acesso ao pátio é livre e gratuito mas, para visitar o interior do castelo é preciso reservar os ingressos com antecedência, para não ter que aguardar por horas para a visita guiada. Para saber mais detalhes e ver mais fotos desse lugar indescritível, lê o artigo que escrevi sobre o Castelo de Neuschwanstein: o queridinho da Alemanha.

5.      Oberammergau

Oberammergau é um pitoresco vilarejo alemão, conhecido pelas pinturas, especialmente religiosas, que enfeitam as suas fachadas. Como a cidade é pequenina, algumas horinhas são suficientes para visitar, fotografar e saborear uma deliciosa kuchen em uma das padarias locais!

Aqui perto também podem conhecer a Abadia de Ettal, o Castelo Linderhof, Garmisch-Partenkirchen e a pequena Mittenwald.

6.      Munique

Antes de iniciar a viagem, aproveita para conhecer a capital da região da Baviera e não deixa de visitar a Neus e a Altes Rathaus (as câmaras municipais, antiga e nova), assistir ao Glockenspiel (o espetáculo de sinos e bonecos que representam a história da cidade), curtir o sol e uma refeição em um dos Biergartens, ver a Alter Peter (a igreja mais antiga de Munique), ir ao Münchner Residenz e Hofgarten (local onde reis, imperadores e políticos viveram entre 1508 e 1918) e, se visitar na segunda quinzena de setembro, ir à Oktoberfest!

Nesta viagem, fiquei 2 dias em Munique, sendo que um foi dedicado a conhecer os principais pontos da cidade (e até poderia ter ficado mais tempo, para conhecer também outras atrações) e o outro dia foi na Oktoberfest!

Quanto tempo para explorar a região

Fizemos este roteiro em 4 dias, mas podes fazer em mais ou em menos, dependendo de quanto tempo queiras aproveitar em cada lugar. Caso tenhas mais tempo disponível, sugiro adicionar à rota outras cidades mais ao norte da Baviera, que não visitei, mas fiquei cheia de vontade de voltar para conhecer também: Miltenberg, Rothenburg ob der Tauber, Bamberg, Wurzburg e Dinkelsbuhl.

Gostaste do roteiro e das dicas? Marca aqui quem tu gostarias de levar nesta viagem e compartilha este artigo, para que mais pessoas descubram esta linda região alemã!

** Este post contém links para sites afiliados. Ao comprar serviços oferecidos por estes sites, tu não pagarás nenhuma taxa a mais, muitas vezes ganharás descontinhos e ainda estarás ajudando o projeto Amanda Sem Fronteiras a trazer mais e mais dicas pra ti! Este site parceiro não manipula a minha opinião sobre a experiência que relatei neste post ou sobre o serviço oferecido. Recomendo apenas o que uso e confio, para ajudar no planejamento e organização da tua viagem! **

Vale a pena morar em Portugal? 10 motivos por que amo viver aqui!

Viver no exterior é uma escolha que renovamos todos os dias, porque obviamente nenhum lugar no mundo é perfeito, além de que a distância do Brasil e as saudades pesam muito, então precisamos sempre refletir sobre para qual lado esta balança pende mais. Desde o início de 2017, todos os dias escolho viver em Portugal pelos 10 motivos que descrevo neste artigo e também no vídeo que publiquei no YouTube!

1. Oportunidades

O principal motivo que me trouxe para Portugal e que me mantém aqui até hoje são as oportunidades que esse país oferece para quem quer reconstruir a vida no exterior, estudando e/ou trabalhando!

Por aqui há oportunidades de emprego em diversas áreas e a lei imigratória não apresenta grandes limitações em relação ao visto: independentemente da área de atuação ou do salário anual, é possível aplicar ao visto/autorização de residência para fins de trabalho. Assim, o fato de ser estrangeiro não é uma barreira para os empregadores: o que importa é o teu currículo, experiência e perfil.

Além disso, depois de 5 anos vivendo legalmente em Portugal, já podemos solicitar a Autorização de Residência Permanente e a Cidadania Portuguesa! Isto é um país de oportunidades ou não é?

2. Qualidade de vida

Segurança, liberdade, acesso ao sistema de saúde pública a baixos custos, educação de qualidade, possibilidades e oportunidades, são alguns dos pontos positivos encontrados em Portugal e que, para mim, são sinônimos de qualidade de vida e têm um valor imensurável!

3. Ensino Superior

Foi isso que me trouxe para Portugal e é o que mais recomendo: o ensino superior é de qualidade, os valores são acessíveis e o processo de candidatura é muito mais fácil do que se imagina! Isso sem falar que saímos desta experiência com o currículo enriquecido com um título internacional e uma prova de que não temos medo de desafios, duas características muito valorizadas em uma candidatura de emprego!

4. Facilidade de Adaptação

Costumo brincar que Portugal é o Brasil na Europa, e por muitos motivos: idioma, gastronomia, música, clima, etc! Uma coisa que me surpreendeu muito quando cheguei em Portugal, foi perceber o quanto eles absorvem da nossa cultura, músicas, novelas e notícias, enquanto lamentavelmente no Brasil não temos a mesma consideração.

Por aqui, até nas redes de supermercado normais encontramos tapioca, guaraná, açaí, bombons, cachaça, mamão, pão de queijo, e vários outros produtos tipicamente brasileiros, além dos mercados e restaurantes brasileiros nas cidades maiores, onde encontramos produtos mais específicos e aquele sabor de casa. Além disso, várias marcas brasileiras, como Havaianas, Ipanema, Boticário e Melissa estão presentes aqui também! Apesar de serem mais caros, felizmente temos acesso a muitos produtos e comidinhas para matar a saudade de vez em quando!

Apesar das diferenças em palavras, expressões e estrutura gramatical, sem dúvidas o idioma facilita muito a comunicação, para quem pretende sair do Brasil mas não sabe falar qualquer idioma estrangeiro.

5. Acordos entre Brasil e Portugal

Brasil e Portugal têm diversos acordos que facilitam muito a vida dos expatriados, por exemplo:

  • equivalência do INSS entre um país e outro, assim podemos decidir em qual país aposentar-se (ou 🇵🇹 reformar-se) no futuro;
  • redução dos valores (propinas) dos cursos universitários para estudantes de países da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), assim não precisamos pagar os valores altíssimos aplicáveis a outros alunos internacionais;
  • estatuto de igualdade de direitos e deveres, que nos permite votar e concorrer a cargos públicos, por exemplo;
  • PB4, que nos dá acesso ao sistema nacional de saúde nos mesmos parâmetros que um cidadão português.
6. Diversidade de paisagens

Mesmo tão pequenino, Portugal tem uma diversidade enorme de lugares para conhecer: grutas, cascatas, praias, vilarejos, cidades, montanhas, vales… Dá uma olhada nestas fotos e me conta: é possível não ficar encantado?

7. Facilidade de viajar

Uma das coisas que mais amo de morar por aqui é a facilidade de viajar, especialmente pela Europa, a um baixo custo. As muitas companhias aéreas low cost, como Ryanair e Easy Jet, nos aproximam do mundo e dos sonhos! Quem não adoraria fazer viagens de ida e volta por menos de € 20?

8. Clima

Com as 4 estações bem definidas e inverno muito mais ameno que a maioria dos outros países europeus, Portugal é ideal para quem quer viver na Europa sem sofrer muito com a diferença de temperatura. Quando mais ao sul de Portugal, mais elevadas são as temperaturas médias anuais!

9. Gastronomia

Vinho, bacalhau com natas (e outras mil e uma formas), azeitonas, francesinha, alheira, queijos, pastel de nata, tem como não se apaixonar pela gastronomia portuguesa? 🤍🤤

10. Custo de vida e Poder de Compra

Portugal tem um custo de vida baixo, especialmente em comparação a outros países da União Europeia, o que ajuda muito na hora de preparar-se economicamente antes de imigrar (mas atenção que o salário mínimo é baixo também). Além disso, o poder de compra em Portugal é muito superior ao poder de compra no Brasil: assiste já o vídeo de comparação de quantas horas precisamos trabalhar em cada um destes países para comprar alguns itens, com base no salário mínimo. Já fiz também um vídeo falando sobre o custo de vida médio no Porto, para que tenhas alguma referência de valores (importante lembrar que o custo de vida varia muito de acordo com a cidade, prioridades e estilo de vida de cada pessoa). Se ainda não assistiu aos vídeos, não perde essa oportunidade!

Me conta aqui, tu também sonhas em viver em Portugal?

O charme do Outono no Douro: roteiro imperdível!

Gastronomia maravilhosa, passeio de barco pelo Rio Douro, vilarejos encantadores, vinícolas e paisagens apaixonantes é a lista do que vais encontrar neste passeio ao Vale do Douro.

Adoro tanto essa região, que já visitei várias vezes, afinal fica a apenas 1h e 30min do Porto! Em 2018, fiz um tour personalizado com a Lab Portugal Tours, em um bate-e-volta de um dia a partir do Porto. Podes ler mais sobre este passeio no artigo Enoturismo no Vale do Douro!

Neste artigo, vou contar mais sobre o passeio que fiz com a Gi, do @over100cities, e a Ju, do @judejumaria, no outono passado. Vem descobrir o Douro comigo?

Quando visitar o Douro

Este roteiro pode ser aproveitado em qualquer estação do ano, mas no outono, o Douro ganha um charme especial, já que as parreiras (ou vinhas, como dizem por aqui) assumem cores que deixam as paisagens ainda mais apaixonantes!

Outro motivo para visitares o Vale do Douro no início desta charmosa estação é que, com o outono, chega também a temporada de VINDIMA e tu sabias que podes participar desta experiência? Não são todas, mas algumas quintas no Vale do Douro abrem as portas para receber turistas-voluntários, que ajudam a colher uvas e, assim, conhecem a realidade por trás daquela maravilhosa taça de Vinho de Porto! Tu gostarias de viver essa experiência ou preferes ficar só na degustação?🍷

Melhor forma de explorar a região

A partir do Porto, é possível ir ao Douro de trem (PT comboio) ou barco, mas eu considero que a melhor forma é de carro, que te permite liberdade para explorar bem a região!

Quando pensares em fazer uma #roadtrip como esta, aproveita para comparar preços e economizar com a RentCars!

Onde ficar no Vale do Douro

Nesta viagem ao Douro, fiquei hospedada no Lamego Hotel Life e é a minha dica de acomodação para a tua viagem!

Com uma área de 3 hectares, além da área moderna do hotel, com belas áreas comuns, SPA, academia, piscina interna e externa, o complexo também inclui um palacete que pertenceu a um comendador português que emigrou para o Brasil. Impossível não se apaixonar por esse cantinho!

E também não posso deixar de comentar sobre o café da manhã delicioso (e com uma vista especial) e o conforto do quarto, fundamental para descansar depois de um agitado dia de passeio!

Seguro Viagem

Já sabemos a importância de estarmos cobertos por um Seguro Viagem, que além de ser uma exigência para brasileiros entrarem em qualquer país do Espaço Schengen, também nos livra de eventuais despesas de saúde, extravio de bagagem, atraso ou perda de voo, repatriação, além de todo apoio prestado pelas seguradoras.

Para garantires o melhor serviço ao menor custo, compara ofertas de diversas seguradoras e ganha 5% de desconto imediato usando o cupom ASEMFRONTEIRAS5 em Seguros Promo e também com a IATI Seguros e esteja protegid@, em caso de imprevistos desagradáveis durante a tua viagem!

Roteiro pelos encantos do Vale do Douro
Dirigir pela N-222 e apreciar a paisagem

Dirigir pela N-222 e apreciar esta paisagem já é, sem dúvidas, uma das grandes atrações! A N-222 já recebeu o título de melhor estrada do mundo para dirigir, pelo seu mix perfeito de curvas, retas e vistas incríveis, e é difícil não concordar! Dirigir ao longo da margem do rio Douro, do Pinhão ao Peso da Régua, é sem dúvidas um dos passeios imperdíveis no Vale do Douro!

As parreiras enfileiradas em “terraços” nas encostas das colinas, à beira do rio, formam uma paisagem lindíssima. O Alto Douro Vinhateiro consta na lista da UNESCO como Patrimônio da Humanidade, o que ajuda na conservação da paisagem, já que a construção de novos terraços ou hotéis, por exemplo, é controlada.

Passeio de Barco pelo Rio Douro

Um passeio de barco pelo rio Douro é outra atração imperdível! Já fiz dois, mas vou recomendar o que mais gostei e tenho certeza que tu também vais adorar: tour privado com a @douro_vintage_boat_trips. Percorremos o Douro durante aproximadamente 1h, rumo à Espanha, enquanto apreciávamos a paisagem e aprendíamos sobre a região e os seus vinhos DOC Douro e do Porto.🍷

Como se não bastasse ser um passeio privado e recebermos toda a atenção e simpatia da equipe, ainda tivemos direito a um brunch com DE-LI-CI-O-SOS produtos artesanais da região! A @douro_vintage_boat_trips oferece um serviço adaptado a cada cliente e é impossível não ser contagiado pela paixão que têm pelo Douro!

Visita uma (ou mais) quinta de vinho!

Ir ao Douro e não visitar uma das quintas onde se produz os adorados Vinho do Porto e Vinho Douro DOC é como ir à Roma e não ver o Papa, então não se perde uma oportunidade dessas, né?

Nós visitamos a Quinta do Bomfim, localizada em Pinhão, às margens do Rio Douro, e é impossível não recomendar esta experiência! Fizemos uma visita guiada, em que aprendemos mais, provamos e aprovamos diversos tipos e marcas de vinhos da @symingtonfamilyestates.

Visita os miradouros!

Entre vários miradouros, eu não consigo escolher qual é o meu preferido, então tu precisas visitar pelo menos estes dois e depois me contar qual gostaste mais!

Estação de Pinhão

Visita a Estação de Comboio de Pinhão: com o estilo original e os azulejos tipicamente portugueses, é também parada obrigatória!

Provesende

Nada mais português do que as pequenas aldeias! A aldeia de Provesende tem um encanto especial, porque exibe seus solares (antigas residências nobres) distribuído por estreitas ruelas circundadas pelas vinhas .

Gostaste do roteiro e dicas? Marca aqui quem tu gostarias de levar para conhecer essa linda região de Portugal e compartilha com os amig@s que também querem conhecer mais desta terrinha! Ah, e não deixa de ler também o artigo Enoturismo no Vale do Douro!

** Este post contém links para sites afiliados. Ao comprar serviços oferecidos por estes sites, tu não pagarás nenhuma taxa a mais, muitas vezes ganharás descontinhos e ainda estarás ajudando o projeto Amanda Sem Fronteiras a trazer mais e mais dicas pra ti! Este site parceiro não manipula a minha opinião sobre a experiência que relatei neste post ou sobre o serviço oferecido. Recomendo apenas o que uso e confio, para ajudar no planejamento e organização da tua viagem! **

⠀ ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

Imigrando para Portugal: 6 passos para começares o teu planejamento

Com muita frequência recebo perguntas como “Quero imigrar para Portugal, por onde começo?” e “Quanto custa imigrar?”. Por isso, dedicamos um episódio do projeto #ReconstruindoNoMundo para fazer um pequeno passo-a-passo, com questões e custos importantes que precisam ser considerados no processo de imigração (o vídeo está salvo no IGTV @amandasemfronteiras). E, como é um assunto super importante para quem pensa em reconstruir a vida em Portugal, deixo aqui um artigo completo com minhas dicas sobre o que não pode ser esquecido no teu planejamento!

  1. Define qual é o teu objetivo
  2. Começa a trilhar o caminho que escolheste
  3. Economiza e Prepara-te
  4. Trata da documentação necessária
  5. Reserva a passagem aérea
  6. Reserva uma acomodação temporária
1. Define qual é o teu objetivo

Ter clareza sobre qual é o teu objetivo é extremamente importante, para evitar frustrações, por escolher o destino errado e, também, para saber qual caminho seguirás adiante e quais são os teus próximos passos.

Estudar licenciatura, mestrado, doutoramento? Se for, eu recomendo Portugal fortemente, porque o ensino é de qualidade e os preços muito mais acessíveis do que outros países (foi o caminho que me trouxe para Portugal, e não me arrependo da minha decisão);

Trabalhar para juntar dinheiro e depois voltar ao Brasil com uma boa poupança? Sinto muito dizer, mas Portugal não é o destino perfeito para concretizar este objetivo. Apesar de o custo de vida ser baixo, os salários também são, então no final do mês é provável que restem menos euros na tua conta do que gostarias;

Qualidade de vida para ti/família? Sim, Portugal oferece segurança, boa educação, clima agradável, facilidade do idioma e oportunidades de emprego, independentemente da nacionalidade. Para reconstruir a vida, como eu tenho feito, Portugal está de braços abertos!

2. Começa a trilhar o caminho que escolheste

Se já sabes qual é o teu objetivo, é hora de procurar e aplicar para vagas de emprego (ver sites indicados no episódio sobre emprego) ou para o curso de licenciatura/mestrado/doutoramento que desejas (ver dicas sobre Ensino Superior em Portugal). Se as coisas não acontecerem tão rápido quanto tu gostarias, não desanima! Quando eu decidi imigrar a primeira vez, levei mais de um ano para pisar no meu país de destino. Assim como eu, durante este tempo, poderás preparar-te melhor, economizar mais dinheiro e ver Portugal pelos meus olhos. 🙂

3. Economiza e Prepara-te

Quando digo isso, é com autoridade! Entre a data que eu decidi imigrar e o momento que eu entrei no avião, eu não comprei nem uma bala desnecessária (cinema, férias, restaurantes e muitas outras atividades de lazer deixaram de existir durante aquele ano)! Por quê? Porque eu tinha um objetivo e não queria viver a frustração de ter que voltar para o Brasil depois de poucos meses, caso eu não conseguisse logo um emprego e o dinheiro acabasse.

Imigrar envolve um investimento financeiro e emocional muito grande. Por isso, sempre recomendo que faças tudo com calma e corretamente, e economizes o máximo de dinheiro possível antes de imigrar. Assim, estarás bem preparado para os altos gastos iniciais, para os imprevistos e para cobrir os meses em que possivelmente ainda não terás emprego e, assim, evitar complicações e frustrações.

Entre os gastos iniciais que precisam ser considerados estão:

– Ao fazer um contrato de aluguel, o proprietário (🇵🇹 senhorio) pode solicitar o pagamento antecipado de alguns meses de aluguel/caução (2-3 meses é o mais comum), então prepara-te para desembolsar esta quantia já no primeiro mês;

– € para a taxa de solicitação de autorização de residência em Portugal (valores variam de acordo com o tipo de residência, ver lista completa no site do SEF – neste link);

– Caso pretendas imigrar para estudos em Portugal, prepara-te para várias taxas, além das propinas mensais: taxa de inscrição, de matrícula, seguro escolar, documentação, de entrega da tese, certificado e diploma, que variam também de acordo com cada universidade;

– Importante lembrar também que, para conceder a AR, o SEF exige a comprovação de meios de subsistência: 1 salário mínimo mensal (€ 635/mês, em 2020). Caso não tenhas contrato de trabalho, precisas demonstrar que tens reserva de dinheiro no Brasil ou que alguém te enviará este montante mensal (podem exigir declaração do Imposto de Renda do último ano e extratos bancários, teus ou do patrocinador);

– Alguns serviços podem cobrar taxa de inscrição, além das mensalidades normais, como algumas academias (🇵🇹 ginásios);

– Podes dirigir em Portugal com a Carteira Nacional de Habilitação Brasileira por até 90 dias a contar da data de chegada em Portugal (período em que ainda podes ser turista). Após esta data, é obrigatório substituir a CNH brasileira pela Carta de Condução Portuguesa. Para isso, precisarás entregar a CNH, pagar uma taxa de € 30 (em 2020) e apresentar um atestado médico (consulta pelo Sistema Nacional de Saúde custa aproximadamente € 4,50, em 2020). Para mais informações atualizadas, acessa aqui o site do IMT.

– Luz, água, internet fixa, celular (🇵🇹 telemóvel) serão pagos conforme o contrato/uso.

4. Trata da documentação necessária

Depois de já teres decidido imigrar para Portugal e matricular-te em uma Universidade ou estares com contrato/proposta formal de emprego em mãos, é hora de aplicares para o visto em um consulado de Portugal no Brasil e providenciar outros documentos importantes.

– Passaporte brasileiro

O primeiro e mais importante documento que precisarás é o passaporte brasileiro, que precisa ter validade mínima de 6 meses a partir da data de chegada a Portugal. Caso ainda não tenhas ou esteja com data de expiração para breve, deve-se providenciar na Polícia Federal do Brasil. O custo é de R$ 257,25, em 2020. Para mais informações, acessa aqui o site oficial da Polícia Federal.

Obs: caso teu passaporte expire futuramente, quando já estiveres a viver em Portugal, é possível solicitar um novo em um dos consulados do Brasil em Portugal, mas o valor é de € 120, em 2020, para maiores de 18 anos. Mais informações no site oficial.

– Apostila de Haia dos documentos necessários

O que é?

O apostilamento de Haia é o que confirma a origem e a autenticidade dos documentos brasileiros, em Portugal e em todos os países que assinaram o acordo da Convenção de Haia. É importante comentar que a Apostila não confirma o conteúdo do documento. Um Certificado de Conclusão de Curso que seja apostilado, por exemplo, não é considerado validado para exercer a função no país, porque o apostilamento apenas confirma a origem e a autenticidade. De qualquer maneira, para inscrever-se na Ordem dos Profissionais da tua área (ex: Advogados, Médicos, Engenheiros,…), exigirão uma série de documentos apostilados. Mais informações disponíveis neste link.

Quanto custa?

O valor é tabelado, mas depende do estado brasileiro. Apostilar 1 documento em São Paulo custa R$ 107,10, no Rio Grande do Sul custa R$ 50,32 e, em Santa Catarina, R$ 39,80. Compara todos os valores nesta tabela!

Onde se faz?

Nos cartórios das capitais brasileiras e em alguns do interior (contatar diretamente o cartório, para confirmar se estão habilitados a proceder com a Apostila de Haia).

O que é preciso apostilar?

Cada caso pode exigir o apostilamento de documentos diferentes, mas cito aqui as duas situações mais comuns como exemplo. Sugiro que analises as informações disponibilizadas nos sites oficiais e, em caso de dúvidas, entra em contato com os departamentos necessários para confirmar o que precisarás (ex: Consulado, universidade, empresa contratante, Ordem dos profissionais da área X em Portugal, etc).

– Caso queiras continuar os estudos ou validar o diploma em Portugal: fazer reconhecimento de firma no certificado e no histórico escolar da Universidade brasileira e, depois, a Apostila de Haia;

– Caso queiras fazer reagrupamento familiar de algum membro da família (cônjuge, filhos e outros dependentes): apostilar documentos que comprovem o vínculo com o titular do visto, como certidão de Casamento e de nascimento.

– Seguro-saúde

Tornou-se obrigatório para a solicitação do visto e autorização de residência, a contratação de um seguro-saúde particular para o período total de estadia. Compara os melhores preços e as coberturas para ti, e ganha 5% de desconto imediato usando o cupom ASEMFRONTEIRAS5 em Seguros Promo e diretamente com este link da IATI Seguros!

Sugiro também que solicites o PB4, que é emitido gratuitamente e pode ser útil, caso precises usar o Sistema Nacional de Saúde em Portugal. Para saber mais sobre o sistema de saúde pública, lê este artigo que escrevi sobre esse tema.

– Solicitação do visto em um dos Consulados de Portugal no Brasil

Neste outro artigo, já comentei sobre a diferença entre o visto e a autorização de residência e, também, sobre todos os tipos de vistos aplicáveis.

No início de 2017, quando fiz o meu processo, enviei todos os documentos, inclusive o passaporte original, por Correio para o Consulado de Portugal em SP (diziam ser o mais rápido) e recebi o passaporte de volta, já com o visto, em 1 mês. No ano seguinte, já ouvi que o processo estava muito mais demorado, devido ao aumento da quantidade de brasileiros imigrando para Portugal, e a informação no site oficial é de que o processo pode levar até 90 dias. Portanto, organiza-te e inicia o processo com antecedência, para evitar transtornos como perda de voo ou taxa de remarcação de passagem, atraso para o início do período letivo ou laboral!

Para teres uma ideia do valor da taxa de aplicação para o visto de estudos ou de trabalho, acessa aqui o site do Consulado Portugal em São Paulo. Lembra-te que, se enviares os documentos por Correio, haverá também as taxas de envios registrados.

5. Reserva a passagem aérea

A passagem é uma das maiores despesas neste processo, por isso, fiz um artigo com 10 dicas para economizares na compra das tuas passagens aéreas (que sempre aplico para economizar nas minhas viagens). Clica aqui para dar uma olhada!

Costumo sempre pesquisar pelo Google Flights e Viajanet, que assim consigo pesquisar as datas mais baratas e ativar alertas de e-mails (e sempre em janela anônima).

Obs: Se saíres do Brasil com o visto de residência temporária em Portugal já impresso no passaporte, não é preciso apresentar passagem de volta. Se for turista, sim: a passagem deve estar marcada para até 90 dias da data de chegada no Espaço Schengen.

6. Reserva uma acomodação temporária

Outra questão muito importante é reservar acomodação por alguns dias em Portugal, enquanto procura por uma moradia fixa. Eu recomendo reservar para 1 semana, pelo menos, para conseguires visitar apartamentos e quartos logo que chegares aqui e, assim, evitar cair em golpes ou escolher um lugar que não goste. Para isso, recomendo os nossos velhos queridinhos das viagens: Airbnb (com direito à descontão na tua primeira reserva) ou no Booking.com.

Tudo pronto? Hora de fazer as malas e preparar uma pastinha com os documentos para apresentar à imigração na chegada em Portugal e não esquecer de nada importante (passaporte, visto, comprovante de alojamento, passagem, seguro-saúde, contrato de trabalho ou carta de matrícula, documentos apostilados…). Logo, logo vou falar aqui sobre os primeiros passos na chegada em Portugal!

Tu também sonhas em morar em Portugal ou ficaste com alguma dúvida? Então comenta aqui ou envia-me uma mensagem para saber mais!

Banner- afiliados

10 dicas para economizar em passagens aéreas

Quem não gosta de economizar um pouquinho onde pode, hein? Eu sou do time “quanto mais economizar aqui, mais consigo viajar ali“. A cada centavo que poupo em algo dispensável, é um a mais contando para eu poder aproveitar e viver outra experiência! Nesse artigo, não vou dar receitas mirabolantes de uma guru de promoções, mas vou sim listar as minhas dicas, que eu aplico quando pesquiso as passagens para as minhas viagens. Vem andar sem fronteiras comigo?

1. Costumo sempre pesquisar pelo Google Flights e Viajanet, que assim consigo pesquisar as datas mais baratas e ativar alertas por e-mail.

2. Usa uma janela anônima/sem registo/incognito na hora de pesquisar, especialmente se fores pesquisar várias vezes o mesmo trecho. Sim, a tecnologia é uma ladra: se pesquisares em uma janela normal, os buscadores detectam que tu tens muito interesse em determinado trecho/datas e os preços começam a subir. Já fiz vários testes nas minhas pesquisas, e isso realmente faz diferença!

3. Eu sou apaixonada pela função “Explorar” do Google Flights! Muitas vezes já escolhi o destino das férias de acordo com o resultado dessa pesquisa! Aqui, mostra todas as opções de voos a partir da cidade escolhida, e pode-se deixar o destino “Para onde?” em branco, para ver preços para qualquer lugar do mundo, ou selecionar filtro de destino como “Europa”, por exemplo. Além disso, há vários outros filtros super úteis para aplicar: preço, horário, duração, datas flexíveis ou específicas, cia aérea, malas, etc.

4. Um dos filtros que eu mais amo é o das datas flexíveis: seleciono para buscar as passagens mais baratas nos meses XYZ e “fim de semana”, e assim escolho os destinos mais baratos para fazer essas viagens curtinhas ao longo do ano, sem comprometer vários dias de férias.

5. Alertas por e-mail são uma função muito interessante que os buscadores de passagem oferecem: tu podes receber no e-mail uma notificação toda vez que um trecho específico esteja a um valor abaixo do que tu determinaste no filtro do site.

6. Para economizar, seja flexível nas datas! O calendário destes buscadores de passagens permite-nos comparar o preço mais baixo de cada dia, sem termos que pesquisar cada um individualmente! Muitas vezes, viagens no meio da semana são muito mais baratas, e podes sempre comparar isso pelos calendários destes sites. Dica: faz a pesquisa como se fosse “só ida“, que assim consegues ver exatamente quais dias são mais baratos para ir e, depois, faz o mesmo para ver as datas mais econômicas para voltar.

Exemplo de simulação só ida de OPO para POA, no Google Flights

7. As passagens mais baratas costumam ser as que tem mais escalas e duração mais longa, mas isso exige disponibilidade de tempo e paciência! Já várias vezes eu optei por escalas longas e aproveitei para conhecer a cidade da conexão (sim, conheci uma cidade a mais, pagando menos).

8. Outra dica, que eu faço sempre que planejo uma viagem, é pesquisar de/para aeroportos próximos, tanto do meu destino final, quanto da origem que pretendo embarcar. Por exemplo: apesar de o meu destino final ser Porto, muitas vezes já comprei passagens para Lisboa e depois fui para o Porto de trem ou ônibus, que dá um custo de aproximadamente €15, enquanto que a diferença no preço da passagem aérea era muito maior.

9. Comprar trechos separadamente também pode ser uma boa estratégia, mas tenha cuidado! Sempre que vou ao Brasil, vou a Porto Alegre, mas as passagens costumam ser mais caras de/para POA. Por isso, nas últimas vezes, comprei cada trecho separadamente (POA x SP, SP x LIS, e depois fui de trem de Lisboa para o Porto), e acabou ficando mais econômico. Mas, atenção: se fizeres isso, tenha o cuidado de pegar voos com um intervalo grande na escala, para evitar o risco de perder o segundo voo, em caso de atraso/cancelamento do primeiro (como as passagens não são vinculados, a cia aérea não se responsabiliza). Confirma também que as malas de porão estão inclusas em todos os trechos, ou vais ter que pagar adicional para cada voo.

10. Atenção ao que está incluso na tarifa que escolheres: as companhias aéreas agora oferecem bilhetes promocionais, mas sem direito à marcação de assento ou a malas de porão. Calcula quanto seria o custo das malas adicionais e veja se realmente aquela promoção vale a pena!

Gostaste deste artigo? Então compartilha com aquela pessoa que também ama viajar e que pode gostar deste conteúdo e das outras dicas que compartilho por aqui! Um beijo, e boas viagens e descobertas!

Para mais dicas e descontos, clica no banner abaixo ou aqui!

Descobrindo Portugal: Serra da Lousã e Aldeias do Xisto

Em tempos de pandemia, o destino perfeito é aquele perto de casa, sossegado, que não é alvo de turismo de massa. A recomendação do governo português é para aproveitarmos as férias 2020 em Portugal e, assim, além de evitar o risco de contágio indo para outros países, estamos incentivando um pouco a indústria turística que foi (e ainda vai ser) muito afetada este ano. Então, o meu plano é descobrir e mostrar para vocês regiões que eu ainda não visitei e evitar as áreas de turismo em massa. O meu primeiro destino foi a belíssima Serra da Lousã e as encantadoras Aldeias do Xisto: salvem já este roteiro, porque é outra região incrível de Portugal que vocês também devem descobrir!

Melhor forma de explorar a região

A apenas 40km da bela Coimbra, a Serra da Lousã localiza-se entre os aeroportos do Porto e de Lisboa (200km para norte ou para sul). Para explorar a região com total liberdade, o melhor é alugar um carro e partir para a estrada. Para economizar na tua roadtrip, compara os preços de diversas companhia através do Rent Cars.

A Serra da Lousã fica pertinho de Coimbra, então combina muito bem com quem está viajando pela região centro. Para visitar, sem dúvidas recomendo que façam o trajeto de carro, para terem toda a liberdade de moldar o roteiro e fazer as paradas de acordo com o tempo que quiserem.

Onde ficar na Serra da Lousã e região

Exploramos essa região enquanto ficamos hospedados na sossegada Casa de Campo de Soutelo (Vila Nova de Poiares), a apenas 20km de Coimbra, mas já numa região serrana.

Para quem preferir ficar hospedado Coimbra ou Lousã, veja centenas de opções de acomodação no Airbnb (com direito à descontão na tua primeira reserva) ou no Booking.com.

Seguro Viagem

Já sabemos a importância de estarmos cobertos por um Seguro Viagem, que além de ser uma exigência para brasileiros entrarem em qualquer país do Espaço Schengen, também nos livra de eventuais despesas de saúde, extravio de bagagem, atraso ou perda de voo, repatriação, além de todo apoio prestado pelas seguradoras.

Para garantires o melhor serviço ao menor custo, compara ofertas de diversas seguradoras e ganha 5% de desconto imediato usando o cupom ASEMFRONTEIRAS5 em Seguros Promo e também com a IATI Seguros e esteja protegido, em caso de imprevistos desagradáveis durante a tua viagem!

Roteiro pelos encantos da Serra da Lousã e Aldeias de Xisto
Serra da Lousã

Castelo da Lousã: criado no século XI para defender e controlar os acessos a Coimbra, este castelo respira história! Localizado ao lado da praia fluvial, é uma visita 2 em 1!

Praia Fluvial da Senhora da Piedade: este pequeno refúgio com piscinas fluviais é o destino mais desejado para os dias de intenso calor na Serra da Lousã. Não deixem de aproveitar a água geladinha deste riacho para se refrescarem um pouco!

Baloiço de Trevim: destino para uma visita ao final do dia, para apreciar a belíssima paisagem com a luz do pôr-do-sol!

Aldeias do Xisto

No total, são 27 as Aldeias de Xisto, que são conhecidas por este nome devido às pedras que caracterizam estas montanhas e que foram usadas na construção destas aldeias. Desde 2001, um projeto turístico merecidamente voltou a trazer vida à esta bela região que encontrava-se esquecida. Visitei e aproveitei muito as Aldeias de Talasnal e do Casal Novo, passei rapidamente pela Aldeia de Candal e também recebi recomendações para Cerdeira. Para mais detalhes sobre cada aldeia, sugiro que consultem o site oficial das Aldeias do Xisto.

Candal

Talasnal é a Aldeia de Xisto mais famosa e turística, carinhosamente apelidada de “Montanhas de Amor”. Realmente é muito fofa e com mais estrutura turísticas e restaurantes. Almoçamos um delicioso bacalhau com batatas à murro na área externa do Restaurante Ti Lena, deixo aqui a recomendação (mas sugiro ligar para reservar)!

A Aldeia do Casal Novo é menor e menos turística, mas também cheia de encantos e belos cenários. Quem estiver com energia, pode fazer uma trilha entre a aldeia de Talasnal e do Casal Novo (aproximadamente 40min) ou, se preferir a versão mais rápida, de carro estão a uma distância de 7 minutos.

Penacova

Os Moinhos de Gavinhos fazem parte do Roteiro do Arista, em Penacova, e merecem uma visita pela vista para a serra e também pelo lindo cenário para fotos! Os Moinhos eram, antigamente, usados para tornar os cereais em farinha, mas apenas um deles está bem conservado e ainda é utilizado entre os meses de maio e outubro.

Para conhecer mais do Roteiro do Arista, acessa o site oficial do município de Penacova.

Eu fiz este roteiro em 3 dias, em um mix com muito descanso, mas quem tiver menos tempo disponível, pode tranquilamente organizar este roteiro para 2 dias. Gostaste do roteiro e dicas? Marca aqui quem tu gostarias de levar para conhecer essa linda região de Portugal!

** Este post contém links para sites afiliados. Ao comprar serviços oferecidos por estes sites, tu não pagarás nenhuma taxa a mais, muitas vezes ganharás descontinhos e ainda estarás ajudando o projeto Amanda Sem Fronteiras a trazer mais e mais dicas pra ti! Este site parceiro não manipula a minha opinião sobre a experiência que relatei neste post ou sobre o serviço oferecido. Recomendo apenas o que uso e confio, para ajudar no planejamento e organização da tua viagem! **

Ensino Superior em Portugal: o que precisas já saber!

Neste artigo, conto as principais diferenças e aspectos mais importantes sobre o Ensino Superior em Portugal, para esclarecer já as dúvidas iniciais de quem pensa em imigrar com o objetivo de estudar em terras portuguesas. Qualquer outra dúvida que tiveres, envia-me aqui nos comentários ou no Instagram, que vou ter todo o prazer de te responder!

Dicionário do Ensino Superior

É verdade que Brasil e Portugal falam português, mas tu sabias que existem várias diferenças no nosso vocabulário? A cada artigo da série #ReconstruindoEmPortugal, vou deixar um resuminho de algumas palavras relacionadas ao tema, que podem causar dúvidas, por serem diferentes do nosso PT BR.

  • 🇵🇹 1º ciclo / licenciatura = 🇧🇷 bacharelado, licenciatura, tecnólogo
  • 🇵🇹 2º ciclo / mestrado = 🇧🇷 mestrado
  • 🇵🇹 3º ciclo / doutoramento = 🇧🇷 doutorado
  • 🇵🇹 Mestrado Integrado = licenciatura + mestrado (cursos de engenharia, por exemplo)
  • 🇵🇹 Propina = 🇧🇷 Valor do curso (algumas universidades aceitam parcelamento)
  • 🇵🇹 Notas de 0 a 20 = 🇧🇷 Notas de 0 a 10
Extensão dos Cursos Superiores

A licenciatura (1º ciclo) tem extensão de 3 anos em Portugal, devido ao acordo de Bolonha, que promoveu a padronização do ensino superior em 29 países europeus.

Devido à curta duração do curso (ou à obrigatoriedade, em algumas áreas), é muito comum que façam logo o Mestrado Integrado, emendando o mestrado logo após a licenciatura, totalizando 5 anos de curso. Por “obrigatoriedade em algumas áreas”, refiro-me à Engenharia, por exemplo, que para obter-se o título de Engenheiro Ambiental, Civil, etc, é preciso concluir o mestrado integrado.

O mestrado tem a duração de 2 anos e, geralmente, divide-se em 1 ano de aulas e 1 ano de dissertação.

Existem, ainda, cursos de pós-graduação, mas como a extensão deles é inferior a 1 ano, não é possível obter uma autorização de residência a partir deste tipo de curso, apenas o visto pelo período do curso.

Já o doutoramento, tem a extensão de 3 a 4 anos, sendo composto por algumas disciplinas no primeiro ano de curso e o restante do período dedicado à pesquisa.

Período Letivo, Horários e Idiomas das Aulas

– O período letivo vai de setembro/outubro a maio/junho (dependendo das datas de exames e se tiverem que repetir exames para melhoria de nota), por isso vais ver vagas para 2020/2021, por exemplo;

– Quando procurares um curso, é importante teres atenção aos horários (a maioria é diurno, porque é muito comum os estudantes portugueses fazerem o curso em turno integral e só começarem a trabalhar depois de concluírem a licenciatura e o mestrado). No meu caso, como já trabalhava quando comecei o mestrado, tive que procurar um curso pós-laboral, e tive aulas só às sexta-feiras à noite e aos sábados de manhã.

– Atenção também ao idioma de ensino: algumas universidades oferecem cursos completa ou parcialmente em inglês, então é preciso saber se tu estás confortável para aprender e fazer os trabalhos e apresentações em inglês, ou se terá que procurar um curso completamente em português.

Quanto custa estudar em Portugal? 

O custo dependerá muito do curso e da Universidade, mas atenção para observar a diferenças de valores de propinas: há um valor para europeus, outro para estrangeiros e outro para alunos de países membros da CPLP (Comunidade dos Países de Língua Portuguesa), que é onde nós, brasileiros, nos enquadramos. Aqui podem ver alguns exemplos, para referência:

Processo Seletivo

Licenciatura: além do exame nacional português, a boa notícia é que diversas universidades aceitam a nota do Enem do Brasil para o acesso ao Ensino Superior em Portugal – a lista completa e atualizada está disponível no site do INEP.

Mestrado: o meu processo foi super simples: fiz a candidatura no site da universidade, paguei a taxa de inscrição, enviei currículo profissional, certificado de conclusão do bacharelado e histórico de notas do curso com a média global (é preciso fazer o apostilamento de Haia destes dois últimos documentos, ainda no Brasil), e analisaram estes documentos e pronto!

– Queres saber também sobre o 🇵🇹 doutoramento? Envia-me uma mensagem aqui!

Ensino Superior e Visto/Autorização de Residência

Após receber a confirmação de que foste aceito e fazer a matrícula em uma universidade portuguesa, é hora de solicitar o Visto de Residência para fins de estudos em um Consulado de Portugal no Brasil. Não percas tempo, porque o processo pode levar 90 dias, e é importante chegar em Portugal já com o visto no passaporte, para facilitar o processo de Autorização de Residência (AR) depois. Para mais informações sobre Visto para fins de estudos, acessa aqui o site do Consulado de Portugal em São Paulo, que possui informações detalhadas e atualizadas.

Este visto será temporário e, assim que chegares em Portugal, terás que agendar com o SEF a solicitação de autorização de residência para fins de estudo (caso teu curso tenha duração de 1 ano ou mais).

Tanto para o visto, quanto para a AR, terás que apresentar praticamente os mesmos documentos: comprovante de matrícula, declaração do estudante (indicando o curso, o nome da instituição de ensino, a data de início e fim, e endereço do alojamento em Portugal), Comprovativo dos meios de subsistência e de alojamento, Seguro médico internacional de viagem, Certidão de antecedentes criminais (emitido no site da Polícia Federal do Brasil), fotografia, passaporte, modelo do SEF com autorização para consulta do histórico criminal em Portugal, pagamento de taxa, etc. A lista completa para a solicitação do visto está disponível aqui. Já a lista de documentos para a solicitação da Autorização de Residência, pode ser consultada aqui.

A autorização de residência para fins de estudo (artigo 91, caso seja estudante de licenciatura, mestrado ou doutoramento em Portugal) tem validade sempre de 1 ano e deve ser renovada para comprovar o vínculo com a universidade. No meu caso, por exemplo, o mestrado teria duração de 2 anos, mas eu tive um semestre de “férias forçadas” no meio da dissertação e acabei tendo matrícula em 3 anos letivos (2016/2017, 2017/2018 e 2018/2019). Por isso, tive também 3 anos de AR para estudos, mas no último ano tive que justificar para o SEF porque não havia concluído o curso no prazo normal de 2 anos.

É interessante comentar também que, após a conclusão dos estudos em Portugal, pode-se ficar mais 1 ano no país para procurar emprego na sua área de estudo, solicitando uma nova concessão de autorização de residência, pelo artigo 122, alínea P.

Quando terminar este período, poderás solicitar a AR para trabalho na tua área ou fazer uma manifestação de interesse, caso tenhas arranjado emprego em outra área (mas este segundo caso pode demorar mais de 1 ano, devido ao grande volume de solicitações recebidas desde que a lei entrou em vigor).

Para saber mais informações atualizadas, os documentos necessários e as taxas aplicáveis a cada uma das modalidades de AR, acessa o site oficial aqui.

Tu também sonhas em morar em Portugal ou ficaste com alguma dúvida? Então comenta aqui ou envia-me uma mensagem para saber mais!

Banner- afiliados

Como viver legalmente em Portugal?

Quer saber como viver legalmente em Portugal? Neste artigo e também neste vídeo, vou contar sobre os principais tipos de visto e autorização de residência para quem pretende reconstruir a vida em Portugal.

Primeiramente, é importante explicar qual é a diferença entre visto e autorização de residência: o visto é solicitado ainda no Brasil e tem caráter mais temporário, enquanto a autorização de residência é solicitada em Portugal, e tem validade de 2 anos na primeira concessão e 3 anos anos na renovação em caso de trabalho, e de 1 ano em caso de estudos. Para solicitar o visto ou a AR, é preciso se enquadrar em uma dessas modalidades e solicitar o visto ainda no Brasil facilita muito o processo de AR depois.

Os principais tipos de autorização de residência são para fins de:

trabalho por conta de outrem (com contrato ou proposta formal de trabalho, sem limitações de área ou regras complexas);

trabalho independente (com emissão de recibos verdes);

atividade de investimento (ver mais informações aqui);

estudos de ensino superior (é preciso estar matriculado em um curso de longa duração – licenciatura, mestrado ou mestrado integrado);

reagrupamento familiar (caso seja casado ou em União estável com alguém com autorização de residência ou cidadania europeia);

aposentado, religiosos ou pessoas que vivam de rendimentos próprios (ver mais informações aqui).

Para saber mais informações atualizadas, os documentos necessários e as taxas aplicáveis a cada uma das modalidades, acesse o site oficial aqui.

Caso tenha cidadania europeia, não é preciso solicitar visto ou AR, já tem permissão automática para viver no país.

Apesar de o processo de autorização de residência ser um pouco burocrático e demorado, Portugal é muito aberto a receber imigrantes. Após 05 anos de residência legal em Portugal, pode-se solicitar a residência permanente e a cidadania portuguesa.

Ao receber a primeira residência temporária, pode-se solicitar o Estatuto de Igualdade de Direitos e Deveres, que permite usar o sistema de saúde pública sem a necessidade do PB4, votar em eleições municipais, candidatar-se a concursos públicos e mais. Com ele, podemos também fazer o Cartão Cidadão, ou BI, que é o documento de identificação português (mas isso não é sinônimo de cidadania). Para mais informações, acesse o site oficial aqui

Tu também sonhas em morar em Portugal ou ficaste com alguma dúvida? Então comenta aqui ou envia-me uma mensagem para saber mais!

Banner- afiliados