Roteiro inesquecível por Provença e Côte d’Azur

Quem sonha em conhecer os tapetes lilases que enfeitam a região de Provença? Que tal unir em uma só viagem a doçura do florescer dos campos de lavanda (e de lavandin) da região de Provença com os dias relax nas lindas praias da Côte d’Azur? Hoje vou contar sobre o roteiro que eu, a @prispelomundo, a @ka_abroad e a @seidenraupen fizemos no final de junho/2019, e deixar aqui todas as dicas para que vocês também tenham un bon voyage!

Melhor época para visitar

De modo geral, a melhor época para explorar a região de Provença e ver os belos e floridos campos de lavanda é entre a metade de junho e fim de julho. Mas, ATENÇÃO!, porque em cada região o florescer pode acontecer em diferentes épocas, dependendo da altitude do campo. Por isso, antes de fechar o roteiro, confere o mapinha de previsão de florescimento:

When and where does lavender bloom in Provence?
Melhor forma de explorar a região

Os aeroportos mais próximos são Marselha e Nice, e lá mesmo tu já podes pegar o carro alugado e partir para a estrada, para explorar a região com total liberdade. Para economizar na tua roadtrip, compara os preços de diversas companhia através do Rent Cars.

Onde ficar em Provença e Côte d’Azur

Veja centenas de opções de acomodação em Provença e Côte d’Azur no Airbnb (com direito à descontão na sua primeira reserva) ou no Booking.com.

Seguro Viagem

Já sabemos a importância de estarmos cobertos por um Seguro Viagem, que além de ser uma exigência para brasileiros entrarem em qualquer país do Espaço Schengen, também nos livra de eventuais despesas de saúde, extravio de bagagem, atraso ou perda de voo, repatriação, além de todo apoio prestado pelas seguradoras.

Para garantires o melhor serviço ao menor custo, compara ofertas de diversas seguradoras e ganha 5% de desconto imediato usando o cupom ASEMFRONTEIRAS5 em Seguros Promo e também com a IATI Seguros e esteja protegido, em caso de imprevistos desagradáveis durante a tua viagem!

Roteiro de 3 dias pelos encantos de Provença e Côte d’Azur
DIA 1
Avignon

Iniciamos nossa roadtrip em Lyon e a primeira parada foi no charmoso vilarejo de Avignon. Vocês sabiam que a cidade foi “o Vaticano de outros séculos”? Pois é, em Avignon viveram os Papas católicos por séculos, e a cidade só passou ao domínio francês em 1791! Não tínhamos muito tempo antes da nossa próxima parada, por isso não pudemos visitar por dentro o Palácio dos Papas, nem ir até a Fortaleza de Santo André, mas já foi tempo suficiente para ficarmos encantados com o centro histórico.

Museu de Lavanda

Não podíamos ir em busca dos campos floridos sem visitarmos o Museu da Lavanda, em Coustellet, e vivermos a experiência por completo, certo? Pois vou te contar que foi uma ótima ideia e recomendo muito a visita: não deixa de fora do teu roteiro!

Primeiro, visitamos o museu e aprendemos sobre as diferenças entre lavanda e lavandin, o processo de produção e extração da essência de lavanda e suas propriedades medicinais. Vocês sabiam que a lavanda fina verdadeira, cujo óleo essencial possui propriedades medicinais e é usado em diversos produtos de beleza, cresce somente a uma altitude entre 800 e 1300 metros acima do nível do mar? Abaixo desta altitude, é possível encontrar apenas campos de lavandin, que é uma flor híbrida, desenvolvida a partir da lavanda, mas usada para fins diferentes, como produtos de limpeza, porque não tem propriedades medicinais. Alguns dos benefícios do óleo essencial da lavanda fina são promover a calma e combater o estresse, a ansiedade, a insônia, aliviar os efeitos de picadas de insetos, dores de cabeça, e a lista continua!

Depois, participamos de um workshop sobre a lavanda fina e os cinco sentidos: experimentamos macarons feitos com lavanda, pintamos e também aguçamos o tato, o olfato e a audição, conectando-nos verdadeiramente à experiência de descobrir a lavanda fina.

Ao final da visita, conhecemos os produtos da marca Le Chateau du Bois, uma linha de produtos super completa, todos feitos à base de óleo essencial de lavanda.

Para mais informações sobre horários e ingressos, visita o site oficial do Museu da Lavanda.

Bonnieux

Ao longo do trajeto, vê-se incontáveis campos de lavanda e lavandin, um mais convidativo que o outro. Em Bonnieux estão alguns deles, que se estendem como tapetes lilases às margens de colinas. Interessante saber que a lavanda fina verdadeira cresce somente nas regiões de altitude entre 800 e 1300 metros acima do nível do mar. Sempre que encontrares campos abaixo desta altitude, serão de lavandin, uma flor desenvolvida a partir da lavanda, mas que não tem as mesmas propriedades medicinais e é usada para fins diferentes da lavanda.

DIA 2
Cassis e Parque Nacional dos Calanques

Um dos passeios que fizemos pela maravilhosa Côte d’Azur foi a Cassis, uma cidadezinha fofa ao lado de Marselha, de onde embarcamos para visitar o Parque Nacional dos Calanques. Os calanques são pequenas praias em fiordes, com o incrivelmente azul mar mediterrâneo.

A partir de Cassis, podes fazer trilhas pelos calanques até as suas belíssimas praias. Vontade de conhecer não nos faltava, mas não tivemos coragem de fazer essa caminhada no sol, porque as temperaturas estavam altíssimas devido à canícule (onda de calor do cão).

Acabamos optando por um passeio de barco que nos levou a 8 calanques, mas não fazem paradas para mergulho, apenas admirar e ouvir as explicações do guia. Há diversos passeios disponíveis, que exploram 3 ou até 9 calanques, e assim podes escolher de acordo com a tua disponibilidade de tempo e orçamento.

Depois do passeio de barco, também curtimos a Plage de La Grande Mer e foi simplesmente MARavilhoso!

DIA 3
La Bastide de Moustiers

Para mim, viajar é sobre descobrir e vivenciar as mais diversas experiências. Sou capaz de alegre e curiosamente comer insetos na Ásia, e também de desfrutar de uma deliciosa refeição em um requintado restaurante com estrela Michelin, no coração do Parque Natural Regional do Verdon. Esta foi a vez da segunda opção: conhecer e me deliciar no restaurante e hotel La Bastide de Moustiers. Para quem estiver disposto a investir em uma experiência gastronômica incrível, recomendo muitíssimo (mas não esqueças de fazer reserva com antecedência). Nós experimentamos um menu degustação, com entradas, prato principal, queijos e sobremesas, regados a vinho (comecei a salivar só de lembrar-me), em uma mesa ao jardim, com uma vista que completava o encanto da experiência.

Gorges du Verdon

No meio da imensidão dos canions de Verdon, que estendem-se por 25km e chegam a 700 metros de altura, repousa o azul-esverdeado lago Sainte-Croix-du-Verdon. Uma beleza natural única e inesquecível, que convida a um mergulho, passeio de barco ou de pedalinho!

DIA 4, 5, 6…

O que eu mais amo de uma roadtrip é ter a liberdade de poder parar sempre e onde quiser ao longo do caminho! Por isso, vou deixar algumas dicas extras, para quem tiver mais tempo disponível, poder adicionar também ao roteiro os doces vilarejos de Aix-en-Provence (não deixa de conhecer a Catedral de Saint-Sauveur, a avenida Cours Mirabeau e o museu-estúdio de Cezanne), Moustiers-Sainte-Marie (aproveita também para experimentar uma cerveja artesanal da região, com um sabor muito especial: lavanda!), Parque Nacional de Luberon (reserva da biosfera, na lista da Unesco desde 2010), Valensole (planícies onde encontrarás alguns dos mais apaixonantes campos de lavanda).

Já em Côte-d’Azur, aproveita para visitar também Marselha, Eze, Nice e Cannes, e que tal estender um pouquinho até Mônaco?

Ah, e a Pris Pelo Mundo é uma carioca que mora em Nice, e tem zilhões de dicas maravilhosas no blog e no Insta! Recomendo que dê uma olhada também nas dicas dela e no post Os Campos de Lavanda de Valensole, para deixar o teu roteiro completão e super especial!

Eu preciso admitir que, quando começamos a planejar essa viagem, eu só tinha vontade de adicionar mais dias ao roteiro, para aproveitar ao máximo a região! Infelizmente não foi possível, mas coloquei o pé no avião de regresso já com a certeza de que ainda voltarei lá, para conhecer mais desta região tão mágica! Me conta nos comentários o que achaste do roteiro e se já exploraste um pouco de Provença e Côte d’Azur também! ❤

** Este post contém links para sites afiliados. Ao comprar serviços oferecidos por estes sites, tu não pagarás nenhuma taxa a mais, muitas vezes ganharás descontinhos e ainda estarás ajudando o projeto Amanda Sem Fronteiras a trazer mais e mais dicas pra ti! Este site parceiro não manipula a minha opinião sobre a experiência que relatei neste post ou sobre o serviço oferecido. Recomendo apenas o que uso e confio, para ajudar no planejamento e organização da tua viagem! **

Tudo o que precisa saber antes de visitar Strasbourg!

Pensando em uma viagem romântica? Então salva essa dica! Strasbourg, na região da Alsacia, na fronteira entre a França e a Alemanha, é pura fofura! Uma cidade que une o antigo e o moderno, bem como os traços da cultura destes dois países. Pront@ para explorá-la comigo e apaixonar-se por Strasbourg?

Thinking of a romantic trip? So save this tip! Strasbourg, in the Alsace region, on the border between France and Germany, is pure cuteness! A city that unites the old and the modern, as well as the traits of the culture of both countries. Are you ready to explore it with me and fall in love with Strasbourg?

Sobre Strasbourg / About Strasbourg

A história de Strasbourg remonta a 12 aC, quando os romanos criaram uma aldeia nesta área. Outro fato importante na história de Strasbourg aconteceu em 1518, quando Martinho Lutero expôs sua tese em frente à Catedral, marcando o início da Reforma Protestante. No século XVII, o Sacro Império Romano perdeu o poder de Strasbourg para a França. Duzentos anos depois, a cidade tornou-se parte do Império Alemão, mas isto não durou muito: 48 anos depois, após o fim da Primeira Guerra Mundial, Strasbourg retornou ao controle da França. Quando a Segunda Guerra Mundial começou, a população foi evacuada e logo a cidade foi ocupada novamente pelos alemães, que anexaram a Alsácia à Alemanha, de 1940 a 1944. Em 1949, Strasbourg foi eleita a casa do Conselho da Europa e, em 1992, tornou-se a sede do Parlamento Europeu. Desde 1988, a área da Grande-Île, onde localiza-se o centro histórico e a Catedral de Strasbourg, foi listada pela Unesco como patrimônio da humanidade. Em 2017, o bairro deNeustadt, construído na época que a cidade estava sob comando alemão, foi também adicionado à lista.

Strasbourg’s history goes back to 12 BC, when the Romans started a village in this area. Another important fact in Strasbourg’s history happened in 1518, when Martin Luther exposed his thesis in front of the Cathedral, marking the beginning of the Protestant Reform. In the XVII century, the Holy Roman Empire lost the power of Strasbourg to France. Two hundred years later, the city became part of the German Empire, but it didn’t last long: 48 years later (in 1918), after the end of the First World War, Strasbourg returned to France. Then the Second World War started and the population was evacuated, and soon the city was occupied again by the Germans, who attached Alsace to Germany from 1940 to 1944. In 1949 Strasbourg was elected the house of the Council of Europe and, in 1992, became the seat of the European Parliament. Since 1988, the Grande-Île, where the historic center and Strasbourg Cathedral are located, has been listed by Unesco as world heritage. In 2017, the district of Neustadt, built at the time the city was under German command, was also added to the list.

O que fazer e visitar / What to do and visit

Para quem quer aproveitar Strasbourg ao máximo, uma boa opção é comprar o Strasbourg Pass. Por €19,50 por adulto, você terá direito a subir os 142m até o alto da torre da catedral e ter vistas esplêndidas da cidade, assistir à apresentação dos 12 apóstolos no relógio astronômico às 12:30, fazer um passeio de barco de 1h pelo Rio Ill, escolher um museu para visitar gratuitamente e ainda ganhar descontos em diversas outras atrações, durante 03 dias consecutivos!

For those who want to enjoy Strasbourg to the fullest, a good option is to
buy the Strasbourg Pass. For € 19.50 per adult, you will be entitled to climb the 142m to the top of the cathedral tower and have splendid views of the city, watch the presentation of the 12 apostles in the astronomical clock at 12:30, take a 1-hour boat tour on the River Ill, choose a museum to visit for free and still get discounts in several other attractions, during 03 consecutive days!

Eu amo fazer passeios guiados a pé nas cidades que visito, porque é uma ótima forma de aprender mais sobre a cidade, as atrações, a cultura e a história da região, sem gastar muito. Explorei Strasbourg com a ajuda de um audioguia, disponível para aluguel no posto de turismo, bem em frente à Catedral de Strasbourg. Recebi um mapinha da cidade, com indicação para os locais a passar e escutar os comentários. Foi uma experiência muito legal, recomendo muito!

I love to go on guided walking tours on the cities I visit, because it’s a great way to learn more about the city, the attractions, the culture and the history of the region, without spending much money. I explored Strasbourg with the help of an audio guide, available for hire at the tourist office, right in front of the Strasbourg Cathedral. I received a little map of the city, with indications of where to go and listen to the comments. It was a really cool experience, I truly recommend it!


O bairro de Petite France foi o que mais me encantou! As casinhas de fachada colorida e marcadas por vigas de madeira parecem cenário de filme: puro charme! Neste bairro, costumavam viver pescadores e trabalhadores de curtumes e moinhos e, atualmente, é o turismo que traz vida às suas charmosas ruelas.

The neighborhood of Petite France was the one that enchanted me the most! The colorful facades of the half-timbered houses look like a movie set: pure charm! This neighborhood used to be occupied by fishermen, tanners and millers and, at present, it is the tourism that brings life to its charming alleys.

A Ponts-Couverts é outra importante referência, na área da Petite France, já que suas torres são umas das poucas que ainda restam do antigo muro que cercava a cidade na Idade Média.

The Ponts-Couverts is another important landmark in the area of Petite France, since its towers are one of the few that still remain of the old wall that surrounded the city in the Middle Ages.


Perto dali, localiza-se a barragem de Vauban, construída para a proteção da cidade. Quando os seus 13 arcos eram fechados, o rio alagava a parte sul da cidade e espantava os exércitos inimigos.

Nearby is located the Vauban’s dam, built for the protection of the city. When its 13 arches were closed, the river flooded the southern part of the city and floundered the enemy armies.

O passeio de barco é ótimo para conhecer a cidade de outro ângulo, indo da área mais antiga à mais moderna. Ao longo do percurso, pode-se ouvir explicações sobre cada local no audioguia, disponível em diversos idiomas, inclusive português!

The boat tour is great for getting to know the city from another angle, going from the older area to the more modern. Along the way, you can hear explanations about each location in the audio guide, available in several languages!

Entre os diversos museus a visitar em Strasbourg, destacam-se o museu de artes decorativas, o museu de arte e o museu de arqueologia, sendo que os três dividem o espaço do Palácio Rohan. Para quem, como eu, gosta de aprender sobre a história e cultura da região, pode-se visitar o museu alsaciano e o museu histórico de Strasbourg. Para completar, o museu de l’Œuvre Notre-Dame, o museu Tomi Ungerer e o museu de arte moderna e contemporânea são imperdíveis para os fãs da arte. Que tal visitar museus diferentes, como o do chocolate ou do vodu?

Amongst the various museums to visit in Strasbourg, the decorative arts museum, the fine arts museum and the archaeological museum stand out, with all three sharing the space of the Rohan Palace. For those, like me, who like to learn about the history and culture of the region, you can visit the Alsatian museum and the Strasbourg historical museum. To complete, the l’Œuvre Notre-Dame museum, the Tomi Ungerer museum and the museum of modern and contemporary art are a must-see for fans of art. And how about visiting different ones, such as the chocolate or voodoo museums?


Entre os parques da cidade, o Le Parc de l’Orangerie é o mais famoso, devido aos seus 26 hectares, o belo lago com uma cascatinha e animais! Se for até lá, aproveite para passar pelo parlamento europeu, o Palácio da Europa e o edifício dos direitos humanos e conhecer a área mais moderna de Strasbourg. Além disso, o jardim botânico também é uma ótima atração para quem visitar a cidade entre 01 de março e 24 de dezembro.

Among the city’s parks, Le Parc de l’Orangerie is the most famous, due to its 26 hectares, the beautiful lake with a waterfall and the animals! If you go there, take the chance to pass by the European Parliament, the Palace of Europe and the human rights building and get to know the most modern area of Strasbourg. In addition, the botanical garden is also a great attraction for anyone visiting the city between March 1 and December 24.

Strasbourg é linda o ano inteiro, mas a época natalina traz um encanto especial à cidade, com suas decorações e o seu “Christkindelsmärik“. O tradicional mercado de Natal da cidade é famoso por ser o mais antigo do mundo, já que o primeiro evento ocorreu em 1570!

Strasbourg is beautiful all year round, but the Christmas season brings a special charm to the city, with its bright decorations and the Christkindelsmärik. The traditional Christmas market in the city is famous for being the oldest one in the world, as the first event occurred in 1570!

Como se deslocar / How to get around

Na minha opinião, é andando que encontramos os lugares mais lindos e inesperados! Mas, para quem não quiser caminhar muito, o transporte público é muito bom e está disponível e atualizado para consulta no Google Maps, o que ajuda muito na hora de saber como deslocar-se de um ponto a outro.

In my opinion, it’s walking that we find the most beautiful and unexpected places! But, for those who do not want to walk a lot, the public transport is very good and it’s available and updated for consultation on Google Maps, which helps a lot to get information about how to move from one point to another.


Para quem chega em Strasbourg de avião, é possível deslocar-se do aeroporto ao centro de trem, e o bilhete custa EUR 2,70 por pessoa. A máquina é meio esquisita e não muito intuitiva, porque a alteração de idioma não estava 100%, mas tentando e pedindo ajuda eu acabei aprendendo como usá-la! Basicamente, é preciso selecionar a estação de partida, de destino, o tipo de bilhete, o número de pessoas, a data de validade desejada e a quantidade de bilhetes, isso tudo rodando o botão para mudar as opções e, depois, apertando para selecionar a desejada. Depois de confirmado e pago, o bilhete será impresso e precisa ser validado em uma das maquininhas amarelas.

For those arriving in Strasbourg by plane, it’s possible to travel from the airport to the city center by train, and the ticket costs EUR 2.70 per person. The machine is a little weird and not very intuitive, because the language change was not working 100%, but trying and asking for help I ended up learning how to use it! Basically, you need to select the starting station, destination, type of ticket, number of people, the expiration date you want and the number of tickets, all by turning the button to change the options and then pressing it to select the desired option. Once confirmed and paid, the ticket will be printed and it must be validated in one of the yellow machines.


Já o ônibus foi bem fácil! Depois de pesquisar no Google Maps qual era a melhor linha para chegar no hotel, fui até a parada e comprei o bilhete (um cartão recarregável) com o motorista, por 2 euros. Esse valor ficaria mais barato se eu recarregasse o cartão depois.

On the other hand, taking the bus was easy peasy! After searching on Google Maps for the best line to get to the hotel, I went to the stop and bought the ticket (a rechargeable card) with the driver for 2 euros. This amount would be cheaper if I reloaded the card later.


Há, ainda, a opção de passeios turísticos em “mini-trem” (sujeito a 50% de desconto para quem tiver o Strasbourg Pass), Segway (desconto de 30% para quem tiver o Strasbourg Pass) ou Rickshaw (descontos de 15 a 20% para quem tiver o Strasbourg Pass).

There is also the option of sightseeing by “mini-train” (subject to 50% discount for those with Strasbourg Pass), Segway (30% discount for Strasbourg Pass) or Rickshaw (discounts 15 20% for those who have the Strasbourg Pass).

Onde ficar / Where to stay

Para completar a experiência nessa cidade linda, recomendo o maravilhoso Best Western Plus Hôtel Monopole Metropole! O quarto é super confortável, o pessoal muito simpático e o café da manhã uma delícia, perfeito para se preparar bem para um dia de muito passeio!

To complete the experience in this beautiful city, I recommend the wonderful hotel Best Western Plus Hôtel Monopole Metropole! The room is super comfortable, the staff very friendly and the breakfast simply delicious, perfect to get well prepared for a full day exploring!


Visitar Strasbourg foi simplesmente incrível e inesquecível, uma cidade que eu certamente recomendo! Costumo dizer que vou deixando um pedaço do meu coração em cada cidade que visito, enquanto vou levando um pouco delas também, nas minhas memórias! Aproveito para agradecer o apoio do Office de Tourisme de Strasbourg et sa Région e do Best Western Plus Hôtel Monopole Metropole durante esta viagem! As experiências que me proporcionaram nestas parcerias ficarão eternizadas nas minhas melhores lembranças!

Visiting Strasbourg was simply amazing and unforgettable, it’s totally worth the visit and I truly recommend it! I always say that I leave a piece of my heart in every city I visit, while I take some of them too, in my memories! I also take the chance to thank the Office de Tourisme de Strasbourg et sa Région and the Best Western Plus Hôtel Monopole Metropole for their support during this trip! The experiences afforded by these partnerships will be eternalized in my best memories!

Palácio de Versalhes

Para aqueles que vão à Paris, outra parada obrigatória, não muito longe dali, é o Palácio de Versalhes, ou Château de Versailles, na língua original. O Palácio e seus jardins são verdadeiramente lindos e merecedores de uma visita! Além disso, o palácio é rico em história, já que por ali viveram e passaram diversos reis franceses e importantes marcos históricos.

Sua construção iniciou em 1631, como uma casa de campo, que era usada pelo Rei Louis XIII quando ia à região de Versalhes caçar. Posteriormente, durante o reinado do seu filho, Louis XIV, o Palácio passou por diversas obras de ampliação e transformou-se em residência de lazer. Devido à paixão que o rei desenvolveu por estas terras, em 1682, o Palácio passou a ser usado como a principal residência da corte francesa e do governo. O local passou, então, a receber diversas festas e eventos. No entanto, as obras ainda estavam longe de serem completadas quando, em 1715, o rei Louis XIV faleceu e, logo em seguida, a corte francesa retirou-se de Versalhes.

Apenas anos depois do falecimento do pai, o novo rei, Louis XV, decidiu retornar ao palácio e retomar as obras internas e externas, criando aposentos menores e dando sequência a alguns projetos já iniciados anteriormente. Seu filho, o rei Louis XVI, nasceu em Versalhes e viveu no Palácio a maior parte de sua vida, diferentemente de seu pai. Foi na Ópera Real do Palácio que ocorreu o seu casamento com Marie-Antoniette, em 1770.

Palácio de Versalhes

A Revolução Francesa passou por Versalhes tirando-lhe o brilho, já que as mobílias e outros itens da Monarquia foram confiscados e vendidos a cidadãos e comerciantes. Assim, restaram apenas as obras de arte e de ciência, cujo confisco não estava incluído na lei de 1793, e os itens que a Família Real havia levado consigo na mudança para o Palácio das Tulherias, ou guardado em depósitos particulares.

Palácio de Versalhes

Em 1837, Louis-Philippe, o “Rei dos Franceses”, inaugurou em Versalhes um museu dedicado a todas as glórias da França ao longo dos séculos. Seu objetivo era reconciliar e reforçar a união do povo francês, indiferentemente de crenças políticas e ideológicas individuais.

O palácio tornou-se um símbolo de poder e protagonizou eventos importantes da história, além de expô-los em seu museu. Foi em Versalhes que o Império Germânico foi proclamado, em 1871, após a vitória dos prussianos sobre os franceses. Ironicamente, na mesma Sala dos Espelhos, onde quase 50 anos antes o Império Germânico havia sido declarado, em 1919, os alemães tiveram que assinar o tratado de paz, encerrando e assumindo a derrota na Primeira Guerra Mundial. Foi também no palácio que surgiu a Terceira República Francesa, quando o parlamento refugiou-se ali, e onde quinze eleições presidenciais ocorreram, entre 1873 e 1954.

Palácio de Versalhes

Outra importante contribuição para a manutenção do palácio foi feita pelo norte-americano John D. Rockefeller, que fez generosas doações, em agradecimento ao envolvimento francês na guerra de independência dos Estados Unidos.

Os Jardins do Palácio são realmente um espetáculo à parte! Com uma bela mistura de flores, fontes, estátuas, lagos e arbustos cuidadosamente podados. O estilo de jardim francês é uma dos que mais me agrada, com toda sua simetria e harmonia entre os elementos.

Este slideshow necessita de JavaScript.

A fila de entrada no Palácio era giganteeesca, mas, como nós já tínhamos comprado os ingressos online, pudemos cortar um bom pedaço desta longa espera. Então, fica a dica: sempre que possível, compre os ingressos antecipadamente, porque além de economizar tempo de espera, muitas vezes as empresas oferecem descontos na compra online!

Palácio de Versalhes

É possível comprar o ingresso para visitar o Palácio ou o Trianon e, em ambos os casos, está inclusa a visita aos jardins e à exibição de carruagens. Há, também, a possibilidade de comprar o “passaporte”, para 1 ou 2 dias, que inclui o acesso a todas estas áreas. Além disso, pode-se escolher assistir ou não aos shows musicais na fonte e nos jardins, a um adicional no preço do “passaporte”. Portanto, como viram, há diversas modalidades de preço, por isso recomendo que consultem os preços de acordo com as áreas que pretendem visitar e já comprem os ingressos online, para evitar as filas, clicando aqui.

Há, ainda, entrada gratuita ou com desconto para algumas pessoas, como jóvens com até 18 anos, residentes na União Europeia com até 25 anos, deficientes e seus acompanhantes, etc. Para conhecer todas as categorias elegíveis a estes descontos, verifique a lista completa clicando aqui. Dica: no primeiro domingo de cada mês, entre novembro e março, todos os visitantes têm direito à entrada gratuita.

Para chegar ao Palácio, saindo de Paris, é necessário pegar o trem RER C em direção a VICK Gare de Versailles Château/Rive Gauche ou SARA0T St-Quentin-en-Yvelines. A frequência desta linha é de um trem a cada 15min, aproximadamente, e a viagem leva em torno de 45min. É possível comprar a passagem no balcão ou nas máquinas automáticas (máquinas verdes).

Você pode escolher embarcar em qualquer uma das paradas do RER C em Paris, conforme for mais próximo e acessível para você: Gare d’Austerlitz, Saint-Michel – Notre-Dame, Musée d’Orsay, Invalides, Champ de Mars-Tour Eiffel, Javel,… Então, vale dar uma consultada no Google Maps antes, para saber qual é a estação mais próxima e, assim, evitar deslocamento desnecessário até outra estação. Já em Versalhes, você deve descer na estação Gare de Versailles Château Rive Gauche ou Gare de Versailles Chantiers.

Vai viajar e já quer deixar tudo organizado antes? Comece a planejar a sua viagem por aqui, sem pagar qualquer taxa a mais, muitas vezes estará ganhando descontos e ainda estará ajudando o projeto Amanda Sem Fronteiras, para trazer mais e mais dicas para você!

Banner- afiliados